<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, março 11, 2004

  A Queda do Paradigma

A esquerda parece finalmente estar a deixar cair um dos seus últimos paradigmas: "de cada um conforme a sua capacidade e a cada um de acordo com sua necessidade". De repente, celebra-se cada euro ganho pelos administradores brasileiros da TAP como bem enpregues. Longe vai o tempo em que o nosso troglodita PCP ecoava no seu Avante as desgraças da gestão de Fernando Pinto: "A TAP precisa urgentemente de uma gestão competente", afirma a célula do PCP, sublinhando que os trabalhadores continuarão determinados na defesa dos seus direitos.

Agora os 'maus' passaram a ser bons. A TAP, foi promovida de excepção a regra. Afinal pode haver empresas públicas bem geridas. Já não é preciso privatizar, basta gerir bem. As centenas de despedimentos na TAP, essenciais para a redução de custos da empresa, foram esquecidos a bem do conceito de 'gestão pública de qualidade'. As críticas às suspensões das linhas que davam prejuízo, transferiram-se para os encerramentos das estações dos CTT deficitárias. E tudo em nome do lucro. Quem diria.

Os salários dos administradores, neste caso particular, podem ser livres. Nos hospitais, nos institutos públicos, nas empresas públicas municipais, exigem-se salários tabelados e baixos. Na TAP, 0,1% dos trabalhadores ganham 5% da massa salarial, mas está tudo bem, apesar do índice de desigualdade ser incomparavelmente superior ao que tanto se critica nos EUA.

Mude-se o paradigma. "De cada um conforme a sua capacidade e a cada um de acordo com sua necessidade excepto nas empresas públicas anteriormente mal geridas e que davam prejuízos mas agora dão lucros." Valeu?

Fim de Página