<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, maio 28, 2004

  Obrigado

A todos os que parabenizaram ou citaram o primeiro aniversário deste blogue.

Ao meu conterrâneo laranjo-vermelho que não se aguenta nas canetas; Aos Blasfemos, que lutam permanentemente contra o estado geral da bovinidade, e apesar de anti-mouros nunca atentaram contra a vida deste sulista. Ao bloguista mais eclético da luso-blogosfera. Ao candidato ao parlamento europeu apreciador das coisas boas da vida. Ao voyeur que nos espreita das terras de Lorosae. Ao melhor fotógrafo de Beja e arrebaldes e que costuma parar pela Praça da República. Ao Sócio Gerente que sabe que os factos e a verdade são dois conceitos anti-revolucionários. Ao forense que luta contra o déficite de alma. Ao militante dedicado do partido da rosa, que não só tuge como muge. Ao que ao atingir a maioridade, busca a sapiência e batalha pela verdade. À Ana, minha quase vizinha, que nos conta a vida dos seus dias a partir da linha. Ao canhoto do Cruzes, de quem espero uma certa resposta duas vezes prometida... zzzz zzzzz zzzz. Estou a esperar sentado. Ao leão, lagarto e galinácio dos 12 costados. Ao atento observador do mundo que nos rodeia. Ao que atentam contra a linha dos que tentam manter a elegância, sugerindo-lhes deliciosos doces da avozinha. Ao bloguer voluntariamente mais faccioso da luso-blogosfera. Ao que sempre se surpreende com as surpresas da lusolândia, Ai, Jasus! Ao McGuffin que nunca para de nadar contra a corrente. À única Bomba que nunca provoca danos colaterais. Ao sempre presente Intermitente. Aos bloguistas que sopram forte de norte e por vezes arrefecem as águas algarvias. Ao matemático anti-liberal elitista melómano e plural. Ao homem das grandes fotos e dos pin-holes desfocados e que um dia ainda vai encontrar um disco velhinho que eu não tenha; Ao especialista em generalidades que nos abrasa em fogos intensos. Ao líder do lóbi dos arquitectos da luso-blogosfera. Ao Luciano, o mais comprometido espectador do nosso mundo. Ao popular-elitista imperial do quinto. Ao grande defensor da mais nobre causa. Ao desalinhado, desconforme, herético, heterodoxo e homofóbico, o grande impertinente. Ao sempre em desacordo habitante das terras do nunca. Aos sempre razoáveis da razão das coisas. Ao portista sulista que bloga entre a barreta e o levante. Aos mais ilustres vilacondenses da blogoesfera. Ao sempre credível desacreditado. Ao antropólogo pós-moderno de devoção mourista. Ao Gato Gaspar que mia e arranha a partir de uma toca algarvia. Ao Rui que nos toca adufe com intervalos de confiança alargados; Ao algarvio generalista da ilha da Culatra. Ao principal Partizam que nos mostra a guerra na blogosfera. À Ana das crónicas ao pequeno almoço. Aos sempre úteis desblogueadores, sem certezas absolutas mas com opiniões formadas. Ao líder da Passarada que procurava a Origem do Amor. Ao bloguer do blog de expressão portuense, benfiquista, monárquica, católica e politicamente indeterminada. Ao Nuno, o homem que não se cala. Aos "quizers" da Brigada que lutam contra a roupa do crocodilo. Ao horrendo Monstro Adamastor cheio de substrato. Ao blog que apenas quer ser Pecola. Ao Irreflectido lutador da causa socialista; Ao açoriano que apenas quer sol na eira, mesmo que não chova no nabal. Ao algarvio das terras do sol. E ao intimista que de tudo nos fala de tudo com frontalidade. A todos, muito obrigado.

E que me perdoem aqueles que ficaram esquecidos, por culpa minha ou por culpa do espião dos links.

Fim de Página