<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, agosto 05, 2004

  TSF - Quem te ouviu e quem te ouve...

A TSF vai de mal a pior. Como se já não bastasse o abastardamento musical que a estação sofreu há uns meses, o enviesamento noticioso e o mau jornalismo estão aparentemente a ganhar cada vez mais espaço na estação que em tempos foi indispensável.

De entre os muitos exemplos, aqui ficam alguns:

Câmara de Lisboa: "Buraco financeiro aumentou 34,1% em seis meses".

O destaque desmente logo o título: "Os números mostram que entre o final de 2003 e o primeiro semestre deste ano a dívida aumentou 34,1 por cento."

O jornalista não faz a menor ideia do que é endividamento e do que habitualmente se chama um "buraco". E no corpo do artigo as coisas ainda ficam piores: "Estes primeiros seis meses do ano traduziram-se num agravamento da dívida a fornecedores em 34,1 por cento."

Afinal não é endividamento nem o buraco. É a dívida a fornecedores, uma parte da dívida (que inclui outros tipos de obrigações) e que não tem nada a ver com "buracos". Tendo em atenção esta qualidade de informação, se amanhã a CML contrair dívida bancária e pagar a fornecedores a notícia será provavelmente "Buraco financeiro volta a aumentar".

Se assim já era muito mau jornalismo o pior aparece quando se descobre que afinal a "notícia" não é uma notícia. O "jornalista", com aspas bem merecidas, apenas deu voz a uma acção de propaganda de um vereador do PS e nem sequer necessitou de verificação ou esclarecimentos adicionais junto da autarquia.

Muito mau jornalismo de causas, acompanhado de uma evidente falta de preparação técnica.

"Grã-Bretanha na mira dos terroristas, Governo nega"

Estará o governo de Blair a negar uma evidência? Lendo o corpo da notícia percebe-se que é apenas uma pequena manipulação jornalística. Um qualquer almirante terá dito: "As informações disponíveis «mostram que há uma ameaça» contra a marinha mercante britânica". A negação do governo nada tem a ver com este almirante e aparece no fim da notícia: "Em resposta às informações divulgadas pelo jornal «The Times» sobre uma rede terrorista que se prepara para atacar o aeroporto londrino de Heathrow, o governo britânico adiantou não haver provas de uma ameaça específica da al-Qaeda."

Simplesmente mau jornalismo.

"PS e PCP reagem ao «jogo» do Governo"

O destaque: "Em reacção à decisão do Governo de aplicar cem milhões de euros num Fundo de Garantia Financeira da Justiça, o PCP considera que é inaceitável desviar verbas para jogar na bolsa de valores. O PS quer mais esclarecimentos sobre o assunto e alerta para a necessidade de equilíbrio."

A expressão "jogar na bolsa" utilizada neste contexto é um perfeito disparate. O PCP usa sempre a expressão "jogo" associada aos mercados de capitais porque na realidade nunca perceberam muito bem para que é que os mercados servem e com esta idade já não aprendem línguas. Os fundos de equilíbrio financeiro, sempre questionáveis no estado, não "jogam" na bolsa: investem parte das duas disponibilidades em mercados de capitais, de acordo com os seus estatutos, que também determinam os limites de cada tipo de aplicação de modo a manter um portfolio equilibrado dentro de uma relação risco/rentabilidade aceitável. Que o PCP use a expressão "jogo" ainda se entende; que um jornalista da TSF o faça, agravando a palavra entre aspas, insinuando grandes esquemas inconfessáveis é apenas uma evidência de que um jornalista de más causas apenas causa mau jornalismo.

"Portugueses pouco satisfeitos com novo Governo"

Esta "notícia" já foi tratada no Desblogueador de Conversa. Este título traduz os resultados de uma sondagem da Marktest. No corpo da notícia lê-se: "De acordo com a consulta, apenas 30,1 por cento dos inquiridos considerou que as escolhas do novo primeiro-ministro foram acertadas, ao passo que 29 por cento se revelou contra os ministros escolhidos pelo antigo presidente da Câmara de Lisboa."

Gosto do "apenas" apenas no número maior. Aqui nem sequer se trata de mau jornalismo: é a adulteração propositada do conteúdo de uma notícia com vista a enganar os leitores.

Títulos: "Exército israelita mata sete palestinos". "Atentado junto à embaixada de Israel causa dois mortos".

Os israelitas matam. Os atentados terroristas causam mortos. Isto é o pão nosso de cada dia.

Pobre TSF. Quem te ouviu e quem te ouve...

Fim de Página