<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, outubro 22, 2004

  Eles Não Sabem Dizer Liberdade

Um grupo de estudantes de Coimbra entende que deve impedir pela força as reuniões do Senado da Universidade. Consegue fazê-lo com plena impunidade, várias vezes. Como é natural, as forças de segurança são chamadas. Os jovens provocam, insultam e tentam furar o cordão policial. São impedidos. Um é detido. "Ai Jasus! A Democracia! Fascismo! Salvem a liberdade dos jovens! Senhor presidente venha cá!" Devolvam aos jovens a liberdade de impedir que outros se reúnam em liberdade.

Um grupo de autarcas e industriais de camionagem entende que devem ser os contribuintes de todo o país a pagar as auto-estradas que eles pretendem vir a utilizar. Por isso, hoje, vão atrapalhar a vida de todos aqueles que tiverem a infelicidade de circular pelo IP5 à hora da manifestação. Os manifestantes vão organizar uma marcha lenta que não é mais do que um bloqueio da estrada. Isto é só um aviso, para 'eles' verem. E viva a liberdade de impedir que os outros se desloquem em liberdade!

Um grupo de especialistas, certamente sociólogos, não quer que os rankings das escolas sejam públicos. É perigoso. Os rankings são sempre perigosos. Americanices. Pode descobrir-se que os meninos ricos da Escola dos Meninos Ricos têm melhores notas que os meninos pobres da Escola dos Meninos Pobres. Pode descobrir-se que o Figo ganha mais do que o Bosingwa, o que pode provocar problemas psicológicos gravíssimos no Bosingwa e condicionar o seu desenvolvimento futuro como cidadão. Pode descobrir-se que Lisboa tem mais habitantes que a Nazaré, o que constituirá um ataque ignominioso ao povo nazareno. Pode descobrir-se que a escola pública nº 1 de Freixo de Espada à Cinta é melhor que a Escola pública nº 2 de Freixo de Espada à Cintra. E isso não pode ser. O que é importante é compreender a influência estrutural do meio sociológico livre de comportamentos competitivos e a contribuição do binómio meio/experiência na construção de vivências múltiplas indutoras de estados de consciência definitivos para a formação do indivíduo. As notas só servem para atrapalhar. Essa análise deve ser um exclusivo dos especialistas. Não aos rankings. E viva a liberdade de impedir que os outros tenham a liberdade de saber.

Fim de Página