<$BlogRSDUrl$>

sábado, julho 24, 2004

  Einstein

5 da madrugada. O burro passeava pela estrada em livre escapada nocturna. A GNR chegou e explicou: o burro é do homem do talho e fugiu. O homem do talho tem burros? Preocupante.

Pediu-nos o GNR: "Podemos deixar aí o jerico, até que o dono o venha buscar?" Está bem.

Amarrou-se o burro ao poste. Perguntei-lhe "3 vezes 5?" Não respondeu. Apesar da ignorância foi baptizado de Einstein. Até é bom que ele não pense muito. A pensar morreu um burro.

Não deve ser bicho novo. Tentei ensinar-lhe línguas e não aprendeu. Ainda não sei a cor do bicho quando foge. Ainda não lhe dei pão-de-ló. Na fotografia o Einstein está com as orelhas baixas mas garanto-vos que o fotógrafo estava calado.

Sócrates, Soares e Alegre que se ponham a pau. Perguntei-lhe se era candidato à liderança do PS. O burrico não confirma mas também não desmente.

São quase 11:00 e o talhante ainda não o veio buscar.


Einstein, Vale da Asseca, Tavira, há uma hora.

sexta-feira, julho 23, 2004

  Gilão


Rio Gilão, esta manhã.

quinta-feira, julho 22, 2004

  O Mundo Visto do Vale da Asseca

1. Apesar de todas as rezas em silêncio, dedos torcidos e pedidos à Virgem, Durão Barroso passou no Parlamento Europeu. Lá se foi a esperança da pequena vingança por que tantos ansiavam...

2. O lobby dos subsidiados do cinema protestou energicamente contra a nomeação de Teresa Caeiro para a tutela do sector. Óptimo sinal. Nada melhor para o país do que ter lobbies zangados.

3. Manuel Alegre candidata-se a líder do PS. Espero que ganhe. Com Alegre ao lado de Louçã a esquerda seria muito mais coerente e muito mais divertida. Ao pateta alegre, juntava-se o poeta alegre.

4. Sócrates tem um forte argumento para se vender aos congressistas socialistas. Foi o único dos 3 candidatos à liderança que nunca foi derrotado por Santana. João Soares perdeu em Lisboa e o Poeta Alegre foi esmagado na Figueira. Isto é, se ninguém trouxer à baila alguns dos sonolentos debates da SIC.

5. Quem tem andado calado é o marido da Bárbara Guimarães. Hmmm... E ele fica-se?

quarta-feira, julho 21, 2004

  Cinema Paraíso

Nos últimos anos, tradição são as sessões de cinema ao ar livre dos Ciclos de Cinema Europeu do Cineclube de Tavira. Primeiro nos claustros do decrépito convento da Graça, em boa hora aproveitado para mais uma pousada, e agora nos claustros do Convento do Carmo.

O mestre-de-cerimónias é André Viane, que além dos filmes também nos dá a provar no bar improvisado um original Vinho de Laranja de produção própria.

Sou cliente assíduo. Hoje foi Bend It Like Beckham. Anteontem a história da Vóvó Souza em Belleville Rendez-Vous. Amanhã é o Na América. Os outros já vi.


terça-feira, julho 20, 2004

  Diálogo de Praia

- Tem conquilhas?
- Acabaram-se. Quer pr'ámanhã?
- A quanto vende?
- 5 Euros a dose.
- E quanto é uma dose?
- Uma medida mais um punhado.

domingo, julho 18, 2004

  Notas de Dois Dias de Férias

1. Não deixo de me surpreender com as reacções ao post "O Monstro das Bolachas". Record de visitas, de links, de comentários e de e-mails para este blogue. O post foi replicado em vários sites, noutros blogues, em pelo menos 3 fóruns e corre por e-mail. O que mais me surpreendeu foi a forma com que muitas pessoas aparentemente bem informadas reagiram: desconheciam em absoluta a insensata dimensão da hipergorda máquina do estado.

Alguns insultos (como sempre, há insultos) vieram de funcionários públicos que entenderam este post como um ataque aos funcionários.

"Que tal passarmos a ter uma cultura de estudo e análise e não escritos triunfalistas para escovar o ego dos seus autores... Este tipo de análises primárias dá-me vómitos!"
Como é evidente, os funcionários são os menos culpados da situação. As grandes responsabilidades só podem ser atribuídas aos governos que permitiram este nonsense organizativo e aos sindicatos que pretendem eternizar este estado de coisas. Como se muda? Com uma guerra civil. Mais tarde ou mais cedo terá que haver despedimentos na função pública. Como vão passar muitos anos até que um qualquer governo tenha a coragem de o fazer e vai ser preciso ter sorte para que nessa altura haja um Presidente da República que o permita, Portugal vai ter taxas de crescimento mais baixas nos próximos anos. Não esquecer: a consequência principal do estado excessivo é uma menor taxa de crescimento da riqueza. Perdemos todos.

2. Só esta manhã descobri que Santana Lopes já é primeiro-ministro. Julgo que o aeroporto de Lisboa está entupido com gente que quer fugir do país. Como não tenho visto as notícias não sei para onde é que emigrou Miguel Sousa Tavares. Se alguém souber, diga. A minha curiosidade é grande.

3. No Algarve, o clima está óptimo. A água do mar também. As noites quentes. Os dias felizes.



sexta-feira, julho 16, 2004

  Sul


"A Nora de Cacela Velha".
 


quinta-feira, julho 15, 2004

  Hoje...

...o Desesperada Esperança completa um ano de liberdade blogosférica. 
  
...e o Miniscente idem aspas aspas.

...o Não esperem nada de mim faz um ano e 4 dias.  

...José Sócrates esteve muito bem na TV. Até parecia Santana Lopes.

...o Jaquinzinhos ultrapassou 2.000 visitas num só dia. 75% vieram cá parar via Abrupto.
 
...o Blogger passou a incluir um editor html que permite fazer facilmente um arco-íris. Gratuito. Capitalistas.

...começam oficialmente as minhas férias. Nos próximos 18 dias o jaquinzinhos vai entrar num regime de publicação soft wave.



  Augusta Emerita


"Porta do Anfiteatro Romano", Mérida, Novembro de 2000

terça-feira, julho 13, 2004

  O Monstro das Bolachas

Santana mandou uma boca e foi o que se viu. O autarca de Santarém dá saltinhos de alegria. As rádios e as TVs fizeram foruns. Os antiregionalistas do PSD aplaudiram e os regionalistas do PS criticaram.

No Jaquinzinhos sugere-se uma alternativa. Em vez de mudar o Ministério da Agricultura para Santarém, porque não extingui-lo?

Para que é que precisamos de um Ministério da Agricultura? Para distribuir subsídios contrata-se um banco, que o fará com eficácia alocando meia dúzia de funcionários. Uma ou duas funções necessárias de fiscalização concessionam-se. Testes laboratoriais fazem-se nas universidades. Fazia-se uma boa limpeza.

Acontece que este ministério é um excelente representante da burocracia à portuguesa. É assim "O Monstro das Bolachas":

O MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS é composto pelo GABINETE DO MINISTRO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS, que para lá do chefe de gabinete e três secretárias pessoais comporta ainda um chefe de gabinete adjunto, quatro assessores normais, dois assessores de imprensa e dois assessores para a reforma agrária. Acompanham esta equipa meia dúzia de secretárias e uma catrefada daquilo a que se costuma chamar staff.

O Ministério tem três secretarias de estado. O SECRETÁRIO DE ESTADO ADJUNTO E DAS PESCAS não me parece ser um homem só. Está acompanhado pelo Chefe de Gabinete do Secretário de Estado Adunto e das Pescas, ajudados por 3 secretárias pessoais. Existem dois adjuntos do Chefe de Gabinete do Secretário de Estado Adunto e das Pescas e três assessores do Secretário de Estado Adjunto e das Pescas.

Já o SECRETÁRIO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO RURAL tem uma chefe de gabinete da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional e é mais comedido nas secretárias pessoais. Duas chegam. O Secretário de Estado do Desenvolvimento Rural tem apenas dois adjuntos e três assessores.

No meio de tudo isto, a SECRETARIA DE ESTADO DAS FLORESTAS merece um aplauso. Não vejo como é que o senhor Secretário de Estado das Florestas consiga gerir o seu estaminé apenas com uma chefe de gabinete da Secretaria de Estado das Florestas, duas secretárias pessoais e apenas três adjuntos.

Entramos depois nos Serviços Centrais. O primeiro com interesse é o GABINETE DE PLANEAMENTO E POLÍTICA AGRO-ALIMENTAR. Serve este gabinete para apoiar a concepção e assegurar a coordenação, avaliação e acompanhamento das políticas agro-alimentares, do desenvolvimento rural e das pescas, no âmbito nacional e comunitário, participar na formulação das políticas sectoriais e acompanhar a execução das medidas que as sustentam e coordenar e apoiar as relações dos serviços do Ministério com a União Europeia, organizações internacionais e países terceiros.

Tem uma directora de gabinete de planeamento e política agro-alimentar e dois subdirectores. Para cumprir a sua nobre missão, existe uma DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSUNTOS EUROPEUS E RELAÇÕES INTERNACIONAIS que, dada a complexidade das tarefas se divide em três outras divisões: A DIVISÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS, a DIVISÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS e a DIVISÃO DE COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO.

Como é evidente isto é muito insuficiente para o GABINETE DE PLANEAMENTO E POLÍTICA AGRO-ALIMENTAR. Tem mais divisões. A DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO que por sua vez se divide na DIVISÃO DE FORMAÇÃO E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS e na DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E CONTROLO ORÇAMENTAL. Não nos devemos esquecer da DIVISÃO DE DIVULGAÇÃO E RELAÇÕES PÚBLICAS, da DIVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO, do GABINETE JURÍDICO e da DIVISÃO DE ORGANIZAÇÃO E INFORMÁTICA.

Aparte destas divisões, chamadas de apoio técnico e administrativo, existem os chamados SERVIÇOS OPERATIVOS. O primeiro é a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ESTATÍSTICA E GESTÃO DE INFORMAÇÃO, que tutela a DIVISÃO DE ESTATÍSTICAS AGRÍCOLAS E DOS MERCADOS AGRO-ALIMENTARES e a DIVISÃO DE INQUÉRITO, METODOLOGIA ESTATÍSTICA E GESTÃO DE INFORMAÇÃO. Depois existe a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ESTUDOS, PLANEAMENTO E PROSPECTIVA que não quer ficar atrás e também tem as suas divisões: a DIVISÃO DE ESTUDOS E ANÁLISE DE CONJUNTURA, a DIVISÃO DE PLANEAMENTO E POLÍTICAS, a DIVISÃO DE POLÍTICA SÓCIO-ESTRUTURAL e a DIVISÃO DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO.

Por sua vez a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE PRODUÇÕES VEGETAIS tutela a DIVISÃO DE CULTURAS ARVENSES, a DIVISÃO DE AZEITE E AZEITONAS, a DIVISÃO DE AÇUCAR, TABACO, BANANA, TÊXTEIS E OUTROS E A DIVISÃO DE FRUTAS, HORTÍCOLAS E FLORES. (Não se pode dividir isto mais um bocadinho? Talvez separar o tabaco das bananas não seja má ideia.)

Continuando que ainda estamos longe do fim. Chegamos à DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE PRODUÇÕES ANIMAIS, com as suas orgulhosas DIVISÕES DE BOVINOS, OVINOS E CAPRINOS, DIVISÃO DE LEITE E LACTICÍNIOS e a DIVISÃO DE AVES, OVOS E SUINOS.

Assim encerramos o GABINETE DE PLANEAMENTO E POLÍTICA AGRO-ALIMENTAR. Passemos aos seguintes.

Além do parcimonioso serviço central de AUDITORIA JURÍDICA, temos a INSPECÇÃO-GERAL E AUDITORIA DE GESTÃO, com um director-geral e uma Subdirectora-Geral. Esta Inspecção Geral tem uma DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE AUDITORIA DE ACÇÕES ESTRUTURAIS E DE GESTÃO que coordena a DIVISÃO DE AUDITORIA DE ACÇÕES ESTRUTURAIS e a DIVISÃO DE AUDITORIA DE GESTÃO. Por sua vez a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE AUDITORIA DE ACÇÕES CONJUNTURAIS E DE GESTÃO coordena a DIVISÃO DE AUDITORIA DE ACÇÕES CONJUNTURAIS e a DIVISÃO DE AUDITORIA DE GESTÃO. Elementar.

Também aqui encontramos a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE INSPECÇÃO E PROCESSOS ESPECIAIS (SIPE), com a sua DIVISÃO DE PROCESSOS ESPECIAIS e a DIVISÃO DE INSPECÇÕES ESPECÍFICAS.

Voltemos aos Serviços Centrais para vos apresentar a SECRETARIA GERAL DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS.

Aqui encontramos a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE RECURSOS HUMANOS, com as suas necessárias DIVISÃO DE PLANEAMENTO E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS, a DIVISÃO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL e a REPARTIÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL.

Também por aqui se encontra a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS FINANCEIROS E PATRIMONIAIS que ostenta as orgulhosas DIVISÃO DE PROGRAMAÇÃO E GESTÃO FINANCEIRA, REPARTIÇÃO DE ORÇAMENTOS E CONTABILIDADE e a REPARTIÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO GERAL.

Continuando na viagem, passamos pela DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÃO E GESTÃO INFORMÁTICA mais a sua DIVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO, o CENTRO DE FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DE AUDIO VISUAIS (o que seria uma organização destas sem auto-produção de audio visuais?) e finalmente a DIVISÃO DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO INFORMÁTICA.

Finalmente, na SECRETARIA GERAL DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS encontramos um GABINETE JURÍDICO.

Continuando a viagem pelo Ministério, eis-nos num novo serviço central. A DIRECÇÃO GERAL DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLO DA QUALIDADE ALIMENTAR. Para lá do Director-Geral e do Subdirector-Geral, esta Direcção geral também tutela várias Direcções, a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ADMINISTRAÇÃO que coordena a DIVISÃO DE RECURSOS HUMANOS E INFORMÁTICA, o NÚCLEO DE INFORMÁTICA e a DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E CONTROLO ORÇAMENTAL. A DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE FISCALIZAÇÃO DA QUALIDADE ALIMENTAR por sua vez coordena a DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL e a DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL.

Existe também nestes serviços centrais a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO, NORMALIZAÇÃO, PROMOÇÃO E GARANTIA DA QUALIDADE ALIMENTAR. Aqui todos gostam de nomes grandes. Esta Direcção coordena a DIVISÃO DE CERTIFICAÇÃO E PROMOÇÃO DA QUALIDADE DOS PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL, a DIVISÃO DE CERTIFICAÇÃO E PROMOÇÃO DA QUALIDADE DOS PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL, a DIVISÃO DE NORMALIZAÇÃO E GARANTIA DA QUALIDADE ALIMENTAR e o NÚCLEO DE ROTULAGEM E EMBALAGENS.

Por sua vez, o DEPARTAMENTO DE COORDENAÇÃO E APOIO TÉCNICO coordena o NÚCLEO DE DOCUMENTAÇÃO, INFORMAÇÃO E RELAÇÕES PÚBLICAS, o NÚCLEO DE FORMAÇÃO e o NÚCLEO DE PLANEAMENTO E ESTATÍSTICA.

Um outro importante departamento é DEPARTAMENTO DE REGULAMENTAÇÃO E APLICAÇÃO DO DIREITO ALIMENTAR. Também aqui preferem os núcleos. Têm dois, o NÚCLEO DE REGULAMENTAÇÃO e o NÚCLEO DAS CONTRA-ORDENAÇÕES.

Já o imprescindível GABINETE DAS TROCAS INTRACOMUNITÁRIAS E COM PAÍSES TERCEIROS parece-me muito só. Não tem núcleos nem divisões. Injusto.

Ainda por aqui, encontramos o LABORATÓRIO CENTRAL DE QUALIDADE ALIMENTAR, com as suas DIVISÃO DE MICROBIOLOGIA, DIVISÃO DE GÉNEROS ALIMENTÍCIOS COMUNS, ADITIVOS E CONTAMINANTES e a DIVISÃO DO VALOR FÍSICO E TECNOLÓGICO E MICROBIOLOGIA. Pura ciência.

O SERVIÇO DO AUDITOR DE AMBIENTE DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS parece-me ser mais contido. Aguenta-se com um pequeno gabinete de apoio e secretariado.

Um dos Serviços Centrais mais importantes é o INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO RURAL E HIDRÁULICA, que resulta da fusão entre a DIRECÇÃO GERAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL (DGDRural) e o INSTITUTO DE HIDRÁULICA, ENGENHARIA RURAL E AMBIENTE (IHERA).

A lei orgânica que criará as dezenas de capelinhas ainda não chegou, mas os fundidos tinham as suas organizaçõezinhas. A DIRECÇÃO GERAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL tinha a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO, o GABINETE JURÍDICO e a DIVISÃO DE INFORMAÇÃO E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL, que deve dar para pagar umas viagenzitas. Esta direcção ainda tem mais uns directores e respectivo staff nos seus serviços operativos: o primeiro é a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE PLANEAMENTO E AMBIENTE, que se subdivide na DIVISÃO DE ORGANIZAÇÃO E INFORMÁTICA, na DIVISÃO DE FORMAÇÃO E GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS, na DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E CONTROLO ORÇAMENTAL e ainda na REPARTIÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO GERAL.

Em segundo lugar aparece a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DOS RECURSOS NATURAIS E DOS APROVEITAMENTOS HIDROAGRÍCOLAS, também alimenta bastantes clientelas, nomeadamente na DIVISÃO DE CARTOGRAFIA E INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA, na DIVISÃO DE SOLOS, na DIVISÃO DE HIDROLOGIA AGRÍCOLA E QUALIDADE DA ÁGUA e na não menos importante DIVISÃO DE APOIO AOS PERÍMETROS DE APROVEITAMENTO HIDROAGRÍCOLA. O que seria de nós sem eles?

A DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE HIDRÁULICA E ENGENHARIA RURAL também está bem cheinha de divisões. São elas a DIVISÃO DE REGA, DRENAGEM E CAMINHOS, a DIVISÃO DE ESTRUTURAS HIDRÁULICAS, a DIVISÃO DE MECANIZAÇÃO AGRÁRIA e a DIVISÃO DE ESTRUTURAÇÃO AGRÁRIA. Gosto de ver a quantidade de gente que trabalha a bem do país.
Finalmente, a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE GESTÃO DE PROJECTOS E OBRAS dá trabalho a mais uns quantos chefes de divisão e respectivas equipas, na DIVISÃO DE TOPOGRAFIA, na DIVISÃO DE OBRAS E FISCALIZAÇÃO e no GABINETE DE GESTÃO DO PARQUE DE MÁQUINAS.

Mas se isto era a DIRECÇÃO GERAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL, a outra que com esta se fundiu é bem mais interessante. É presiso fôlego para descrever esta direcção. Junto ao Director, há 4 gabinetes: o GABINETE DE APOIO JURÍDICO, o NÚCLEO DE PROMOÇÕES E RELAÇÕES PÚBLICAS, o SERVIÇO DE COMÉRCIO DE GADO, LEILÕES E BOLSAS e o serviço de APOIO TÉCNICO À CAMPANHA LANAR. Pois.

Depois temos 4 Direcções de Serviços e 19(!!!) divisões ou unidades orgânicas. É assim:

A primeira direcção é a DIRECÇÃO DE AMINISTRAÇÃO que tem a DIVISÃO DE FORMAÇÃO, GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS E INFORMÁTICA, a DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E CONTROLO ORÇAMENTAL e a REPARTIÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO GERAL. A segunda é a DIRECÇÃO DE PLANEAMENTO com as suas DIVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO E TRATAMENTO DE INFORMAÇÃO, DIVISÃO DE ESTUDOS, PLANEAMENTO E PROSPECTIVA, e DIRECÇÃO DE PROGRAMAÇÃO, ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO. E o importantíssimo OBSERVATÓRIO DO MUNDO RURAL. Em terceiro lugar temos a DIRECÇÃO DE ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ESPAÇO RURAL, mais as suas DIVISÃO DE GESTÃO DE PROGRAMAS E PROJECTOS DE DESENVOLVIMENTO RURAL, a DIVISÃO DE VALORIZAÇÃO DO AMBIENTE NATURAL E DO PATRIMÓNIO CULTURAL, a DIVISÃO DE DIVERSIFICAÇÃO DE ACTIVIDADES NO MEIO RURAL e a DIVISÃO DE PROMOÇÃO DE PRODUTOS DE QUALIDADE. A quarta e última mas não menos importante direcção chama-se DIRECÇÃO DE QUALIFICAÇÃO E ASSOCIATIVISMO. As suas divisões são todas de morrer e pedir mais. Temos a DIVISÃO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL, a DIVISÃO DE ASSOCIATIVISMO E APOIO INSTITUCIONAL, a DIVISÃO DE GESTÃO E CONTROLO DE FORMAÇÃO, a DIVISÃO DE RENOVAÇÃO DO TECIDO PRODUTIVO e ainda a importante unidade orgânica que dá pelo nome de CENTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO TÉCNICA E HERDADE DE GIL VAZ.

Voltando aos Serviços Centrais do Ministério, aqui está mais um: a DIRECÇÃO GERAL DE PROTECÇÃO DAS CULTURAS. O organigrama desta imbatível direcção geral é mais uma longa lista de direcções, divisões e coisas afins. Assim, adjuntos ao Director Geral e ao Subdirector-Geral (há sempre um amigo perto de nós), temos o sempre presente GABINETE JURÍDICO e o GABINETE DE GARANTIA DE QUALIDADE. Esta Direcção Geral tutela o CENTRO NACIONAL DE REGISTO DE VARIEDADES PROTEGIDAS e tem mais 4 Direcções de Serviços. Começemos a viagem pela DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE FITOSSANIDADE, e pelas suas 4 divisões, a DIVISÃO DE INSPECÇÃO FITOSSANITÁRIA, a DIVISÃO DE SANIDADE VEGETAL, a DIVISÃO DE PRAGAS E MEIOS DE PROTECÇÃO e a DIVISÃO DE IDENTIFICAÇÃO E BIOECOLOGIA DE PATOGÉNEOS. O passeio continua pelas 3 divisões da DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE SEMENTES E PROPÁGULOS, a DIVISÃO DE SEMENTES, a DIVISÃO DO CATÁLOGO NACIONAL DE VARIEDADES e a DIVISÃO DE MATERIAIS DE PROPAGAÇÃO VEGETATIVA. Muito bonitas, todas elas. A terceira direcção a visitar é a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS que tem apenas 4 divisões: a DIVISÃO DE HOMOLOGAÇÃO, a DIVISÃO DE TOXICOLOGIA AMBIENTE E ECOTOXICOLOGIA, a DIVISÃO DE FORMULAÇÕES E RESÍDUOS e a DIVISÃO DE AVALIAÇÃO BIOLÓGIGA. Para ajudar todos estes serviços temos a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE GESTÃO, ADMINISTRAÇÃO E APOIO TÉCNICO, mais as suas basilares divisões: a DIVISÃO DE PLANEAMENTO, INFORMÁTICA E ESATÍSTICA, a DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E CONTROLO ORÇAMENTAL, a DIVISÃO DE FORMAÇÃO E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS, a DIVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO, INFORMAÇÃO E RELAÇÔES PÚBLICAS e a REPARTIÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO GERAL. Uauuu... Isto só pode ser uma S&P 500...

Já em 2004 foi criada a DIRECÇÃO GERAL DOS RECURSOS FLORESTAIS. Esta direcção geral aguarda a lei orgânica que lhe permitirá criar todos os tachos e capelinhas para dar emprego a muitos amigos, mas para já tem apenas um director e três sub-directores. Em breve terá muitos mais. No âmbito da DIRECÇÃO GERAL DAS FLORESTAS encontram-se outras organizações úteis, como a AGÊNCIA PARA A PREVENÇÃO DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS.

Chegamos então à DIRECÇÃO GERAL DE VETERINÁRIA. Eu bem queria descrever esta organização, mas fico por aqui. Esta é das mais mastodônticas e só de olhar para o organigrama, canso-me.

Chegado a este ponto, descrevi 10 serviços. Faltam ainda 12.

E faltam também 7 serviços regionais, cada um a mimetizar o serviço nacional.

Por exemplo, a DIRECÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA DE ENTRE-DOURO E MINHO, tem um Director Regional e dois Subdirectores Regionais. Os SERVIÇOS DE APOIO TÉCNICO E ADMINISTRATIVO têm a DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ADMINISTRAÇÃO e a DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E CONTROLO ORÇAMENTAL, a DIVISÃO DE FORMAÇÃO E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS, a DIVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO, INFORMAÇÃO E RELAÇÕES PÚBLICAS e a DIVISÃO DE ORGANIZAÇÃO INFORMÁTICA. A DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE PLANEAMENTO E POLÍTICA AGRO-ALIMENTAR tem uma DIVISÃO DE ESTUDOS e uma DIVISÃO DE PROGRAMAÇÃO, RECOLHA E TRATAMENTO DE DADOS. Depois vêm os SERVIÇOS OPERATIVOS DE ÂMBITO REGIONAL. A DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE AGRICULTURA tem a DIVISÃO DE LEITE E LACTICÍNIOS, a DIVISÃO DE PRODUÇÃO ANIMAL, a DIVISÃO DE VITIVINICULTURA E FRUTICULTURA, a DIVISÃO DE PROTECÇÃO DAS CULTURAS e a DIVISÃO DE PRODUÇÃO AGRÍCOLA. A DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO RURAL tem a DIVISÃO DE INFRAESTRUTURAS RURAIS, HIDRÁULICA E ENGENHARIA AGRÍCOLA E AMBIENTAL, a DIVISÃO DE ASSOCIATIVISMO E RENDIMENTO DO TECIDO PRODUTIVO e a DIVISÃO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL. A DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLO DA QUALIDADE ALIMENTAR tem a DIVISÃO DE AJUDAS À PRODUÇÃO E AO RENDIMENTO, a DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL e a DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL. A DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DAS FLORESTAS tem a DIVISÃO DE VALORIZAÇÃO DO PATRIMÓNIO FLORESTAL, a DIVISÃO DE PROTECÇÃO E CONSERVAÇÃO FLORESTAL e a DIVISÃO DE CAÇA E PESCA NAS ÁGUAS INTERIORES. A DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE VETERINÁRIA tem a DIVISÃO DE INTERVENÇÃO VETERINÁRIA DE VIANA DO CASTELO, a DIVISÃO DE INTERVENÇÃO VETERINÁRIA DE BRAGA, a DIVISÃO DE INTERVENÇÃO VETERINÁRIA DO PORTO, o CORPO DE INSPECÇÃO SANITÁRIA e a DIVISÃO DE CONTROLO FITOSSANITÁRIO.

Temos ainda na direcção regional o NÚCLEO REGIONAL DO CORPO NACIONAL DA GUARDA FLORESTAL, o NÚCLEO TÉCNICO DE LICENCIAMENTO, as ÁREAS DE SUPERVISÃO do ALTO MINHO, do BAIXO MINHO, da ÁREA METROPOLITANA DO PORTO E BAIXO DOURO e de SOUSA E RIBADOURO, a ESTAÇÃO DE HORTOFLORICULTURA, a ESTAÇÃO DE CULTURAS ARVENSES, a DIVISÃO DE PRODUÇÃO ANIMAL, a DIVISÃO DE VITIVINICULTURA E FRUTICULTURA, a DIVISÃO DE LEITE E LACTICÍNIOS e o CENTRO AQUÍCOLA DO RIO AVE.

Ainda na Direcção Regional, temos o MUSEU AGRÍCOLA REGIONAL DE ENTRE DOURO E MINHO, os CENTROS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL de VAIRÃO, ARCOS DE VALDEVEZ, AROUCA, S. TORCATO, BARCELINHOS, PAÇOS DE FERREIRA e VILA NOVA DE CERVEIRA.

Agora é só multiplicar por 7 e ficamos com o panorama da regionalização deste ministério.

E isto é só no insignificante Ministério da Agricultura. Deus nos ajude.


segunda-feira, julho 12, 2004

  A Manif.

Então, Barnabés, não nos contam como correu a Manif? Já têm novas ideias para o futuro do agro-mar?

  Tavira

Está quase.



sábado, julho 10, 2004

  O Combate do Ano

Os socratistas partem à frente com o apoio dos guterristas. Os soaristas não esperaram para começar o sprint. Vitorinistas e seguristas espreitam uma oportunidade. Aparecerá algum sampaísta? Os ferristas terão desaparecido de vez? E os lameguistas, terão hipóteses? Terá o Cravinhismo algum peso no partido? Os Gamistas, ainda sobrevivem? O Benaventismo e o Gomismo terão melhores hipóteses com os bloquistas ou com os socialistas? E o cesarismo, tentará desinsularizar-se? Os carrilhistas voltarão a pôr-se em bicos de pé?

Em breve, neste blogue e em todas as televisões perto de si.

  Quem diria, há um ano...

Que Santana iria ser primeiro ministro?
Que Jardel seria jogador do Penafiel?
Que os gregos seriam campeões da Europa?
Que a certa altura passou pela cabeça de Louçã chegar ao governo?
Que Sampaio seria excomungado pelos seus?

É só surpresas, aqui no meu estaminé.

 

Última Hora! Parem as Rotativas!

Hoje ou amanhã Jorge Sampaio falará ao país e marcará eleições antecipadas..

Santana entusiasmado com eleições.

O presidente da Câmara de Lisboa diz aos mais próximos que este é o momento por que sempre esperou. Irá vitimizar-se e culpabilizar o Presidente da República pela marcação de eleições.

Grupo da Lapa prepara programa económico de Ferro Rodrigues.

A Capital apresenta todos os nomes que colaboram na sombra com o PS. PS aposta numa verdadeira revolução política. Entrevista exclusiva com Manuel Pinho, coordenador de todo o grupo. Vital Moreira, Silva Lopes, Maria Manuel Leitão Marques, Luís Campos e Cunha, José Amaral e Correia de Campos estiveram nas reuniões

sexta-feira, julho 09, 2004

  E Ela AInda M'Espanta!

Ana Gomes!!!

  A Decisão

Santana feliz. Vai. Ferro Infeliz. Vai-se.
Sócrates Feliz. Quer ir. Vitorino Feliz. Quer vir.
Soares Filho Feliz. Vai tentar. Louçã Piurso. Vai chorar.
Portas Aliviado. Fica-se. Durão aliviado. Foi-se.

  Chemical Jokes (a la Millor)

P: Porque é que o Presidente ainda não dissolveu o Parlamento?
R: Ainda não encontrou um solvente adequado.

P: Porque é que o Presidente ainda não dissolveu o Parlamento?
R: Tem medo que a solução seja precipitada.

P: Porque é que o Presidente chorou ao receber a selecção?
R: Porque ficou emulsionado.

  Axioma

A to-do list cresce em razão inversamente proporcional ao número de dias que faltam para o início das férias.


"À Espera", Príncipe Real, Lisboa, 2 de Abril de 2001

quinta-feira, julho 08, 2004

  8 minutos

"French have made a substantial progress over the last 60 years. They resisted the Greeks for 65 minutes, which is 8 minutes more than they resisted the Germans in WWII".

quarta-feira, julho 07, 2004

  Em Jeito de Balanço - Novas Entradas

La Vanguardia: "...el éxito que se ha apuntado Portugal en la organización de este macroacontecimiento supera con creces el mal sabor de boca que ha dejado la circunstancial frustración deportiva. Según los expertos, una Eurocopa representa el tercer acontecimiento deportivo de gestión más compleja, sólo precedida por los Juegos Olímpicos y los Campeonatos Mundiales de fútbol. En el caso de Portugal se ha desarrollado en ocho ciudades, que han acogido a 16 equipos y a sus respectivas aficiones, cuyo exquisito comportamiento no cabe achacar simplemente al azar, sino a una planificación minuciosa y a un estudiado crowd control (control de multitudes). Portugal'04 ha sido segura sin agobiar, el sueño dorado de organizadores y visitantes y, desde luego, deja una imagen bastante mejor que la ofrecida por la desigual exposición universal de 1998, celebrada en Lisboa. En definitiva, todo un espaldarazo internacional para el país vecino, que coincide con el acceso de un portugués, José Manuel Durao Barroso, a la presidencia de la Comisión Europea."

Newsweek: "The Portuguese organized the three-week, 31-game championship without a glitch. There were three nights of disturbances on the southern Algarve coast where English fans clashed with police. European soccer's governing body said the trouble happened away from game venues and was unrelated to the tournament. Because of the threat of terrorism, security was tight but unobtrusive."

France 2: "Les Portugais ont organisé un Euro parfait, marqué par l'absence des grandes nations européennes en finale. Un milliard de télespectateurs, des stades accueillants, peu de problèmes de sécurité, une ambiance conviviale, les organisateurs ont bien géré leur affaire. "C'est sans doute le meilleur Euro jamais organisé", a dit Lennart Johansson, président de l'UEFA."

The Guardian: "On the day after the Portugeuse beat Spain one of the local newspapers gave expression to the feeling of collective relief coursing through the nation. Its front page simply said Thank You. For providing a tournament of such grace and beauty the same words seem fitting. Obrigado."

Sky Sports: "What did emerge from this tournament it that there is undoubtedly a club and international football issue and there were some tired legs on display. However, it was a wonderful festival of international football and it is essential that these events still maintain their importance in the calendar. ... Overall, Euro 2004 was the most joyous European occasions I have been to. It even surpassed England '96 and it was way ahead of Holland and Belgium. Congratulations to Greece but a huge well done to the hosts Portugal as well."

BBC: "As the dust settles on Euro 2004 and the fans head home, they can reflect on a tournament rich in quality and entertainment. Thrilling games played in colourful stadia and a host nation that welcomed its visitors with genuine warmth has ensured the event will live long in the memory."

  Lulices

Taxas de juro para as empresas vão aumentar no Brasil. Acesso ao crédito mais difícil para PMEs. No jornal Globo:

"O governo conseguiu fechar um acordo que impede que os financiamentos com garantias reais possam ter prioridade na fase de recuperação das empresas. Essa medida, mais dirigida para os bancos, impede que eles desapropriem os bens dados em garantia aos empréstimos como máquinas, equipamentos de informática e bens imóveis. No caso em que a empresa não consiga se recuperar e entre em processo de falência, os financiamentos com garantia real terão prioridade de recebimento."

  Os Conteúdos do Bloco

Aqui neste blogue há muito que se tenta e nada se consegue. Compreender qual é o modelo de sociedade que o Bloco de Esquerda nos propõe, entender se ainda buscam o fim do capitalismo e o estabelecimento de uma ditadura do proletariado, perceber se o Bloco já meteu o socialismo na gaveta, ou clarificar de que modo prático é que se consubstancia a apregoada alter-globalização são debates a que os bloquistas fogem como o diabo da cruz. Do Bloco, opiniões aparentemente firmes só sobre abortos, charros e gays.

Alguns argumentam que existe farta documentação sobre as propostas políticas do Bloco de Esquerda. Estão no site do Bloco. É verdade. Há os documentos do Bloco, da UDP e do PSR. Onde ainda se pode ler que se pretende "a socialização da banca, dos principais meios de produção da indústria, da água, dos recursos energéticos e do agro-mar". Onde ainda se pode ler que "de acordo com o pensamento de Karl Marx, por materialismo histórico e dialéctico, o proletariado podia dizer então: "temos um mundo a ganhar, nada temos a perder senão as nossas cadeias!". E onde se explica que esta "teoria, enriquecida com a análise de Lénine do capitalismo dos monopólios e com o estudo da globalização, fase recente do imperialismo mais agressivo, é uma ideologia de libertação". Onde ainda se propõe "a revolução socialista como ruptura política". E onde se explica que o "seu objectivo é a revolução socialista que destrua o sistema capitalista e a exploração do Homem pelo Homem, criando as bases para o desenvolvimento de uma sociedade socialista, iniciando a destruição do Estado pela instauração da mais ampla democracia social e pela associação livre dos produtores."

A história e a prática destes partidos, nunca foi renegada pelo novo Bloco.

Só em casos excepcionais é possível encontrar alguns documentos com propostas práticas de actuação, que não digam respeito apenas à discriminação positiva das minorias, à defesa dos grupos homossexuais, aborto ou droga. Ou que não sejam simplesmente do contra. O contrismo é a mais forte corrente de opinião da extrema-esquerda.

Uma dessas excepções é o programa da candidatura de Miguel Portas ao município de Lisboa, em 2001. Aqui há propostas práticas. Ou melhor, teórico-práticas. Os autores do documento escreveram as mais tolas utopias e não fazem a menor ideia do que estão a falar. A nota dominante é o absurdo.

Por exemplo, leiam-se as propostas do Bloco para o estacionamento na cidade. A primeira medida é o fim da construção de parques de estacionamento dentro da cidade.

"A Câmara suspenderá os projectos de estacionamento subterrâneo até à 1ª circular."

Todos os novos parques devem ser exclusivos para residentes. Explica o Bloco:

"...um selo anual a afixar no veículo financiará a primeira medida [construção dos parques para residentes] e permitirá aos residentes no concelho estacionarem gratuitamente na cidade. Os veículos com selo poderão ainda - entre as 8 da noite e as 8 da manhã - usar sem custos a rede de parques privados, no quadro de uma renegociação entre os concessionários e o município. O selo para o primeiro e o segundo veículo de um agregado familiar custará 5 contos/ano. ... O selo é facultativo. Quem quiser continuar a usar apenas o actual selo gratuito de área de residência poderá fazê-lo."

Os residentes passariam a pagar 5 contos/ano e com estes 5 contos poderiam estacionar em toda a cidade, e durante a noite nos parques privados.Com o "lucro" desta operação a CML construiria parques de residentes.

Vamos admitir que haverá apenas 200.000 residentes encantados com esta benesse. Os 200.000 residentes pagarão 1 milhão de contos por ano ao município. Deduzindo o IVA, sobram 840.000 contos. Admitamos que a produção de cada cartão não custe mais do que 1 euro e que para gerir estes 200.000 cartões não seja necessário constituir uma equipa que custe mais do que 100.000 contos ano. Restam 700.000 contos.

Com este "lucro" a CML construiria os parques para os residentes. Admita-se que apenas 30% dos residentes que pagaram o selo venham a ter um lugar construído pela CML, ou seja, apenas seriam construídos 60.000 lugares. A 2.500 contos cada lugar (construção baratucha...) só seria necessário juntar 150 milhões de contos. Nada de especial. Ao fim de 210 anos, Miguel Portas poderia inaugurar o último dos parques de residentes. No ano da graça de 2211. É o que se chama visão a longo prazo.

Os residentes poderiam parar gratuitamente em toda a cidade. Vamos admitir, por absurdo, que apenas 25% usariam esta outra benesse e estacionariam os seus carros nas ruas apenas 5 horas/dia em lugares tarifados. Seriam apenas 50.000 carros em luta por um dos 40.000 lugares actualmente pagos, e que passariam a usufruir gratuitamente. O município prescindiria da totalidade das receitas de superfície. Nunca mais de meia dúzia de milhões de contos por ano. Uma ninharia, quando comparado com os 'lucros' dos selos.

Continua o Bloco:

"Serão construídos parques de estacionamento na periferia do concelho de Lisboa, em Algés, Colégio Militar, Pontinha, Odivelas e Gare do Oriente, junto de interfaces de transportes colectivos com o transportes individuais. Usando o conceito de 'park and ride', estes parques utilizarão um sistema de tarifas que incluirá o lugar de estacionamento e o destino final em transporte colectivo. As tarifas devem ser calibradas pelo custo do passe social multi-modal, para que a opção seja atractiva financeiramente."

Serão construídos, por quem? Por privados não, certamente. Para viabilizar os tais lugares é preciso conseguir receitas elevadas (por volta de 30 contos/lugar/mês) e aqui o bloco quer praticamente 'oferecer' o estacionamento. Supõe-se então que seria a CML a construí-los. Porque não?

Admitindo que os teóricos do Bloco queiram construir 50.000 lugares adicionais, muito aquém das necessidades proclamadas, bastariam cerca de 125 milhões de contos para fazer a festa. Proponho que assim que estejam completamente construídos os parques de residentes, o lucro dos selos seja usado para construir estes parques periféricos dissuasores. Assim, a construção iniciar-se-ia em 2212 e a obra feita poderá dar-se por concluída em 2390.

Mais vale tarde que nunca. A ilusão dos 'políticos' do Bloco continua logo a seguir:

"Os veículos com selo poderão ainda - entre as 8 da noite e as 8 da manhã - usar sem custos a rede de parques privados, no quadro de uma renegociação entre os concessionários e o município."

Os concessionários batem palmas. Os privados que construíram os parques vendem lugares a valores entre os 25 e os 40 contos/mês, o que faz todo o sentido. Um lugar que custe 3.000 contos numa concessão a 20 anos, necessita de cerca de 30 contos/mês para se viabilizar. Na maior parte dos casos, os lugares estão disponíveis no período nocturno a valores entre os 10 e 15 contos/mês. O Bloco pretende renegociar com os concessionários o estacionamento gratuito pelos residentes que pagaram os tais 5 contos/ano. Supõe-se que o município pague o resto. Qualquer residente inteligente aproveitaria imediatamente a oferta e os parques esgotariam em 3 tempos. Havendo cerca de 25.000 lugares enterrados em Lisboa, o município só teria que pagar aos concessionários entre 3 e 4 milhões de contos/ano. É só cerca de 5 vezes mais do que receberia dos famosos selos, cujas receitas já estão comprometidos até ao ano de 2390... Talvez o Bloco consiga canalizar para esta ofertazinha aos munícipes as receitas virtuais da Taxa Tobin. O que, para o Bloco, é irrelevante. Todos sabemos que para estas cabecinhas pensadoras o dinheiro é apenas um estado de espírito.

E claro, o Bloco de Esquerda determina imediatamente a falência total do comércio de rua. Sem lugares oferecidos aos visitantes, o comércio do centro da cidade poderia virar a página. Estamos mesmo a imaginar o cidadão que vai comprar um micro-ondas à Loja Sol a transportá-lo num autocarro da Carris a preço bonificado até ao interface de Algés... Ou então ir até um supermercado na baixa e depois entrar no metro com 15 sacos de plástico carregados de compras. Viva a cidade sem estacionamentos. O Bloco é também brilhante a oferecer o que não lhe pertence. Sobre um edifício em construção no Bairro Alto, sugeriam:

"A Câmara negociará a transferência dos direitos de construção de modo a que o promotor e os compradores obtenham o retorno dos seus investimentos. As fundações já existentes deverão ser aproveitadas, neste caso, para estacionamento subterrâneo gratuito destinado aos residentes e ao comércio local. À superfície deverá nascer uma praça. Esta decisão emblemática sinaliza o que não se permitirá no futuro."

São só mais alguns milhões de contos. Não há problema. Adia-se o prazo da construção dos parques periféricos de 2390 para 2410. Afinal, 20 anos em 2390 até é menos de 1%.

O Bloco esforça-se por demonstrar em cada parágrafo que na questão dos estacionamentos não faz a mais pequena ideia do que se passa em Lisboa. Escrevem eles, no programa eleitoral:

"E mesmo os parquímetros, uma boa solução, não são pensados como uma instrumento de organização urbana e de tráfego. São uma simples caça ao tesouro."

O Bloco propõe então a redução do preço dos parcómetros, para diminuir a "caça ao tesouro". Acontece que foi esta "caça ao tesouro" que deixou a EMEL nas lonas, com brutais prejuízos ao longo de todos estes anos. O Bloco atira esta frase para o programa mas esquece-se de escrever que para os parcómetros servirem como "instrumento de organização urbana e de tráfego" os preços teriam que subir exponencialmente. E teriam que subir também para os residentes, a quem o bloco quer oferecer o estacionamento a 5 contos/ano, ou de borla na zona de residência.

Diz também o Bloco:

"Será implementado, a partir da 2ª circular para dentro da área central da cidade, um sistema de informação em tempo real sobre o grau de ocupação dos parques de estacionamento no centro."

Ora eu estou disposto a oferecer ao Bloco o sistema de informação em tempo real. Se não se vão construir mais parques no centro e os lugares de superfície são para encher com residentes a 5 contos/ano, basta grafitar nas paredes que os parques estão sempre esgotados. Estará sempre certo em tempo real.

O Bloco não para com a sua fábrica de milagres. Explica que vai criar um novo bilhete multi-modal para os transportes:

"Os preços deverão representar uma economia real para o utilizador face à situação actual e variarão de acordo com círculos do centro para a periferia da região metropolitana incorporando também o estacionamento."

Para atenuar os prejuízos que operadoras têm hoje, o Bloco propõe não só a redução dos preços dos transportes já insustentavelmente subsidiados, como quer incluir no preço do bilhete a oferta do estacionamento que é habitualmente muito mais caro que o próprio transporte. Suponho que as empresas sejam compensadas com os tais lucros dos selos... Em príncípio, no ano de 3632 as contas podem equilibrar-se.

A única medida inteligente que o Bloco propunha neste documento, era feita pelas razões erradas. Propunha-se acabar com a EMEL - Empresa Pública de Estacionamento de Lisboa. Mas só o fazia para poder reduzir os preços do estacionamento e assim evitar a "caça ao dinheiro".

O Bloco não explica em nenhum lado que o problema do estacionamento em Lisboa não passa pela redução da oferta, mas sim pelo aumento do preço do espaço público e pela redução de lugares à superfície, complementada com oferta adicional de lugares enterrados. Devolver a cidade aos residentes implica tirar os carros das ruas. Os preços terão que aumentar não só para os visitantes mas também para os residentes, a quem o bloco promete o que não há: espaço livre e gratuito para todos. O Bloco procura dizer tudo e o seu contrário numa amálgama de disparates mal pensados, paridos para agradar a gregos e troianos: os residentes teriam espaço à borla e parques gratuitos construídos pelo município, os visitantes parquímetros mais baratos e parques à borla à entrada da cidade e os transportes públicos diminuiriam as tarifas. O paraíso na terra financiado pelos residentes da cidade a 5 contos/ano.

O Bloco em nenhum caso tem a coragem de propôr aumentos do que quer que seja. Sobre as portagens apenas faz uma pergunta "inteligente":

"Porque não querem os concessionários da ponte e das portagens de auto-estrada que automóveis com três pessoas tenham redução de preço e com uma a sua elevação?"

Está-se mesmo a ver. Cada carro que passava na Via Verde parava, vinha de lá um funcionário bloquista e contava as cabeças. Depois fazia um preço. Muito prático.

Mas não se pense que estas propostas completamente absurdas não são assinadas. Este programa do Bloco para Lisboa é da autoria de António Pinto Ribeiro, Augusto M. Seabra, Carlos Marques, Daniel Oliveira, Eduardo Prado Coelho, Fernando Nunes da Silva, Gil Mendo, Heitor Sousa, Inês Lobo, Inês Norton, Isabel Raposo, João Gomes, Júlio César Reis, Madalena Victorino, Maria João Freitas, Miguel Portas, Paulo Areosa, Pedro Soares e Vítor Matias Ferreira.

E querem estes tipos ir para o governo. A Virgem Santíssima nos acuda!

  O Novo Queijo Limiano

Título do Público: Bloco garante a Sampaio que assegura maioria de esquerda.

terça-feira, julho 06, 2004

  Coisa da Bola, para Encerrar a Fase do Euro.

1. Portugal foi a melhor selecção do Euro 2004. As derrotas com a Grécia foram apenas dois acidentes de percurso.

2. Quaresma está no Porto. Simão está no Benfica. Barcelona é apenas um entreposto para miúdos formados pelo Sporting.

3. Estou com vontade de apostar que a Grécia não se vai qualificar para o Alemanha 2006. Está no grupo da Turquia e da Dinamarca.

4. Paulo Autori, o tal que foi treinador do Benfica e do Vitória de Guimarães é actualmente treinador do Perú. Os peruanos estão em 7º lugar no apuramento, mas apenas a 2 pontos do 4º classificado. Se o Perú se qualificar podemos ter um Peru-Turquia, um dos melhores jogos a que podemos assistir, recheado.

  Senteúdo

Escreveu Daniel Oliveira no Barnabé:

"Ele até já fala de economia, da Europa e do desemprego dos licenciados. Até decorou uns números e tudo. Está tão primeiro-ministeriável, o nosso Pedro. Conteúdo não tem nenhum, mas esteve com estilo."

Um bloquista acusa outro político de falta de conteúdo. O que se seguirá? Otto Rehhagel criticará os adversários por jogarem à defesa?

segunda-feira, julho 05, 2004

  A Estatística Não Engana

A prova que faltava. Vamos Ser Campeões. Sampaio, não chora mais!


(de um e-mail enviado por Vasco Cunha Mendes)

  Euro Notes

Algumas das equipas que por cá passaram e deviam ter ficado em casa.

Croácia: Há quem afirme a pés juntos que os croácios participaram no Euro. Não me recordo. Lembro-me apenas de uns tipos do Boavista com os quadrados pintados de vermelho que passeavam no aeroporto.

Rússia: Os rússios não jogam bem nem ao berlinde, mas foram os únicos a vencer os grécios, as saladas russas são melhores que as saladas gregas e as jovens cirílicas meteram num canto as helénicas.

Dinamarca: Ouvi dizer que andaram por aí alguns dinamarquenses e há quem afirme que até ganharam um jogo. Custa a acreditar.

Itália: Os itálicos só vieram a Portugal para se livrarem do treinador. O objectivo foi conseguido. A Itália volta a ser favorita para os próximos campeonatos.

Suiça: Também não tenho certezas sobre os helvécios. Não me lembro de uma única jogada dos rapazes. Não sei em que grupo jogaram.

Espanha: Os espanholeses trouxeram uma das melhores equipas para o euro. Infelizmente esqueceram-se e não a puseram a jogar. Também tiveram azar, caíram no grupo da morte, o tal em que os rússios venceram os campeões da Europa, os espanholeses empataram com eles, os portugas morreram na praia e até os grécios morrem de tédio a olharem para eles próprios.

Alemanha: Há 4 anos tinham perdido contra as reservas portugas. Agora, os alemões levaram dos reservas checos. Não aprendem nada.

Sem estas 7 equipas que nada vieram cá fazer, tinham sido só 9 participantes. 5 estádios chegavam, poupavam-se largos milhões e o euro tinha sido bem melhor.

  Amazing Greece

Este post não é para escrever nada sobre a Grécia. É só para não desaproveitar a ideia do título.

  Mandem a Taça

Em 1992 Portugal foi eliminado na fase de grupos.
Em 1996 Portugal ganhou tudo até aos quartos-de-final.
Em 2000 Portugal ganhou tudo até às meias-finais.
Em 2004 Portugal ganhou tudo até à final.

Nota-se aqui uma forte tendência. Parece-me que não vale a pena perder tempo com o 2008. Mandem já a taça.

domingo, julho 04, 2004

  Blogue Suspenso

Já estou em estágio. For-sah!!!

sábado, julho 03, 2004

  Sophia

Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

Sophia de Mello Breyner Andresen


  Crise

Hoje, Sábado. Agora, eu e a minha cara-metade vamos carregar móveis de um 4º andar para a rua. Alguns não cabem no elevador. Depois vou empacotar os móveis numa Ford Transit, já velhinha. No pico do calor, atravessaremos o Alentejo, a 80Km/h com o sol pela frente. A Ford não tem ar condicionado nem rádio. Em Tavira vamos descarregar a carrinha e alombar com os móveis para um primeiro andar, sem elevador. Depois vou carregar outros móveis na mesma carrinha e regressar a Lisboa. Antes de terminar o dia, ainda me espera uma nova fase de carregamentos.

Maria de Lourdes Pintasilgo tem razão. Esta só pode ser a maior crise desde o 25 de Abril de 74.

sexta-feira, julho 02, 2004

  Adufe

O Adufe faz hoje, em média, um ano. O intervalo de confiança é grande. O erro é mínimo. A distribuição é gratuita. O desvio está ligeiramente padronizado à esquerda. As estatísticas provam que é dos melhores.

  Soccer Country

Como um americano de San Diego viu a nossa festa. Ele gostou e quer que Portugal ganhe. Quanto mais não seja para ver um figueirense dançar.

Update: O link já está nos comentários, mas também vale a pena ler o que este ilustre hermano pensa de nós.

  A Ponte


"Provavelmente... a ponte mais bonita do mundo", Lisboa, 2001

quinta-feira, julho 01, 2004

  Perguntas Soltas Cuja Resposta Obviamente Desconheço

1. Em que situações é que um primeiro-ministro se pode demitir sem ser necessário antecipar eleições?

2. Tavira, já está a arder?

3. Se sempre que um primeiro-ministro se demite é necessário antecipar eleições, porque é que votamos em partidos?

4. Porque será que sempre que a selecção portuguesa joga no Porto em fases finais de grandes competições perde e sempre que joga em Lisboa ganha?

5. Se nas eleições autárquicas de 2001, o PSD e o PP obtiveram 49,5% dos votos no concelho de Lisboa, enquanto que nas legislativas de 2002 só conseguiram 46,8%, podemos assumir que há mais portugueses a apoiar Santana Lopes do que a apoiar Durão Barroso?

6. Gregos ou Checos?

  Mota Amaral?

Amén!

Fim de Página