<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, setembro 30, 2004

  Liberdade e Crescimento


Cada coluna representa um quintil deste ranking.

  Lá Vamos Nós Outra Vez

Índice de Liberdade Económica

1 Hong Kong 1.34, 2 Singapore 1.61, 3 New Zealand 1.70, 4 Luxembourg 1.71, 5 Ireland 1.74, 6 Estonia 1.76, 7 United Kingdom 1.79, 8 Denmark 1.80, 9 Switzerland 1.84, 10 United States 1.85, 11 Australia 1.88, 12 Sweden 1.90, 13 Chile 1.91, 14 Cyprus 1.95, 14 Finland 1.95, 16 Canada 1.98, 17 Iceland 2.00, 18 Germany 2.03, 19 The Netherlands 2.04, 20 Austria 2.08, 20 Bahrain 2.08, 22 Belgium 2.19, 22 Lithuania 2.19, 24 El Salvador 2.24, The Bahamas 2.25, 26 Italy 2.26, 27 Spain 2.31, 28 Norway 2.35, 29 Israel 2.36, 29 Latvia 2.36, 31 Portugal 2.38... 38 Japan 2.53... 44 France 2.63... 60 Cape Verde 2.86... 95 Mozambique 3.28... 114 Russia 3.46... 128 China, People's Republic of 3.64... 137 Haiti 3.78... 144 Cuba 4.08... 147 Venezuela 4.18... 155 North Korea 5.00

A Somália nem consta da classificação.


Um Ranking Alternativo para o Liberalismo Económico:
(123 países)

1 Hong Kong 8,7, 2 Singapore 8,6, 3 New Zealand 8,2, 3 United Kingdom 8,2, 3 United States 8,2, 3 Switzerland 8,2, 7 Australia 7,9, 7 Canada 7,9, 9 Ireland 7,8, 9 Luxembourg 7,8, 11 Finland 7,7, 11 Netherlands 7,7, 11 Estonia 7,7, 14 Iceland 7,6, 14 Denmark 7,6, 16 Austria 7,5, 16 Unit. Arab Em. 7,5, 18 Oman 7,4, 18 Botswana 7,4, 18 Belgium 7,4, 18 Kuwait 7,4, 22 Germany 7,3, 22 Sweden 7,3, 22 Taiwan 7,3, 22 Chile 7,3, 22 Hungary 7,3, 27 El Salvador 7,2, 27 Mauritius 7,2, 27 Portugal 7,2..., 44 France 6,8... 114 Russia 5,0.

A Somália nem consta da classificação.


  Causa-Efeito

Itália paga resgate.
Grupo islâmico faz mais 10 reféns no Iraque.

  A Noite de Kerry

Kerry joga hoje uma das últimas cartadas para chegar ao poder nos EUA. Hoje é o primeiro de três debates entre os dois candidatos e o mais crítico para Kerry e Bush: o tema é a política internacional e o Iraque.

Vi Kerry sair-se muito bem na entrevista (leve) que deu a John Stewart no Daily Show. Tem resposta pronta e algum sentido de humor. Mas Al Gore também tinha. E não nos podemos esquecer que, provavelmente, Gore perdeu as últimas eleições justamente por causa dos debates.

Bush era o provinciano, burro, o calhau com olhos, o ignorante. Gore era o urbano, inteligente, ecologista e culto. E afinal, aos olhos dos americanos, quem ganhou esse debate foi Bush...

  Faculdade de Economia de Havana

Está um senhor a falar na Antena 1 sobre as SCUTS, num daqueles foruns que replicam o da TSF. O senhor explicou que as IPs foram pagos pela CEE e que os senhores economistas do governo têm que estudar melhor os dossiers para aprenderem as coisas que isto das portagens foi tudo uma invenção do Marcelo Rebelo de Sousa.

E no meio explicou que os economistas do governo não percebem nada e que têm é que estudar noutras universidades onde não lhes ensinem a economia dos ricos...

Isto sim, é o país real...

  Sonhos

José Peseiro quer ganhar a Taça Uefa. Este ano já ganhou o torneio do Newcastle. Eu quero ser adminstrador reformado da CGD. Este ano já fui administrador do meu condomínio.

quarta-feira, setembro 29, 2004

  Hoje, no Anacleto



A Prodututividade Invejável de Anacleto Prado Coelho.
O Porcalhão Bush e o Caniche Blair.
Grupo de Tunning do Anacleto.

e ainda, vários posts sobre o camarada Anacleto João Jardim.

  Um Grande Ano Para o Terrorismo

O Crime Compensa. Conseguiram mudar um governo na Europa. Conseguiram ajoelhar um país terceiro-mundista. E agora, aparentemente, ganharam 20 milhões de dólares, cortesia do governo italiano.

Está a compensar cada vez mais a carreira de terrorista. Afinal, Mário Soares estava cheio de razão.

  Lutar no Agro-Mar

No jumento, Rocinante questiona-se sobre o passado esquerdista do autor do jaquinzinhos. Pergunta se este vosso escriba militou na celebérrima organização do sotavento algarvio 'Lutar no Mar, Lutar em Terra', que é como quem diz, Lutar no Agro-Mar. Sinto informá-lo que não. Nem sabia que o autarca de Tavira estava na origem desse pilar da revolução. Apenas conhecia bem os irmãos Rosa Mendes, activos representantes da organização por terras pombalinas. Se bem me lembro, as minhas derivas esquerdistas terminaram aí aos 15 anos, que é uma boa altura para demonstrar alguma maturidade. Depois, admito umas passagens superficiais de simpatia pela AOC (cada deputado da AOC na constituinte é um espinho cravado na garganta de Cunhal), mas só por causa das namoradas que gostavam de jovens "politicamente conscientes".

  Justiça Exemplar (2)

O primeiro post com este título foi mal-recebido por alguns leitores. Justifica-se um pequeno esclarecimento adicional. Claro que o jovem que amaricou o carro e foi fazer corridas ilegais para Palmela, matando 3 espectadores voluntários das acrobacias do volante deve ser condenado pelo acto.

Também é claro que o jovem não cometeu nenhum homicídio voluntário.

Na minha interpretação distanciada e sem conhecimentos jurídicos, o que 'li' foi mais uma opção pela 'justiça exemplar'. Aquilo que a populaça sempre pede: penas exemplares, que é para os outros verem. O que se exije da justiça é apenas o cumprimento da lei. Se não estamos de acordo com as leis, é aos eleitos que podemos e devemos exigir leis diferentes.

A justiça não deve ser exemplar. Apenas justa.

(Sobre este tema, ler Paulo Gorjão e Pedro Sá)

terça-feira, setembro 28, 2004

  As Figuras Não Sabem O Que Custam

Não estará na altura de reabrir o dossier Foz Côa?

  Justiça Exemplar

O jovem que causou a morte a várias pessoas ao perder o controle do carro numa corrida de "street racing" está em prisão preventiva, acusado de homicídio voluntário.

A juíza que decretou esta medida de coacção parece ter querido fazer deste jovem um exemplo.

A justiça nunca deve ser "exemplar". Deve ser apenas cega. Se a juíza quer fazer justiça "exemplar", em vez de aplicar a lei de forma neutra, está a querer ver mais longe do que o legislador.

A justiça "exemplar" é sempre injusta.

  Ria Dourada


Vôo Rasante, Ria Formosa, 2002

segunda-feira, setembro 27, 2004

  Schwarzenegger e Zapatero

Em España, os dias que correm são dias do Orçamento para 2005. E o que fez Zapatero? Imitou Guterres. Enorme aumento da despesa pública corrente, da ordem dos 9,5%, acompanhado do discurso das preocupações sociais. A aposta deste blogue é simples: daqui a poucos anos vamos ver a Espanha atolada em défices altíssimos e a baixar o forte ritmo de crescimento económico dos tempos de Aznar. Nessa altura, o PSOE abandonará o governo e deixará a crise para outros. Típico.

Ao mesmo tempo, na California, Schwarzenegger consegue o impensável: um apoio generalizado à esquerda e à direita. Como faz? Uma mistura de ecologia, pragmatismo e liberalismo económico, enquanto desagrava o brutal défice estadual herdado do anterior governador.

Terminator-1, Sapateiro-0.

sábado, setembro 25, 2004

  Notas Curtas de uma Manhã de Sábado

1. Vicente Jorge Silva abandona o PS. Era claramente um erro de casting. O Bloco espera, com saudade, por ele ou pelas crónicas.

2. O Miguel casou-se por terras do Tio Sam. As maiores felicidades ao novo casal luso-americano.

3. Hoje, Sócrates fica alegre e Alegre fica triste.

4. Não perca no Anacleto, o protesto de um grupo de heterossexuais discriminados, os problemas da biologia neo-liberal capitalista e o manifesto pela liberalização total do Pentatol.

sexta-feira, setembro 24, 2004

  Esquerda de Sucesso

Em apenas 4 dias o Anacleto ultrapassou as 10.000 pageviews.

  A Luz Que nos Mostra o Caminho


Farol do Cabo de São Vicente, Setembro 2004

quinta-feira, setembro 23, 2004

  Um Gravíssimo Problema!

No Barnabé, André Belo preocupa-se com a chegada da concorrência à blogosfera.

  Bons Presságios em Alvalade

O Sporting aparece neste início da Superliga ao nível dos campeões da Europa.

  Hoje, no Anacleto...

As Mãos Ensanguentadas de Berlusconi.
A Esquerda não Gosta de Carne.
As sondagens que mentem.
Aplauso a Noam: Bush=Hitler.
Advertência a Miguel Portas.
O Campo Pequeno é do Povo.
A Verdade a que Temos Direito.

E isto tudo antes da hora de almoço...

  Gente Inducada, Gente Enstruída

Concurso numa estação de rádio. Pergunta ao concorrente A: "Diga em 10 segundos 5 clubes campeões europeus". Resposta titubeante: "aaaa... Inglaterra...".

Pergunta ao concorrente B: "Diga em 10 segundos 5 títulos de livros de Eça de Queirós". Resposta rápida: "As Pupilas do Senhor Reitor..."

Empataram. Zero a zero. Vamos ao desempate. "Qual dos dois sabe qual é a capital da Turquia?". Silêncio. Mais silêncio. Finalmente um dos concorrentes arrisca: "Tunes!"

quarta-feira, setembro 22, 2004

  Exercício de Copy-Paste

Porto empata e fica a seis pontos do Benfica

Parece que o tenebroso sistema voltou a não funcionar. Caro AAA, eleições já?

  Adivinhação Lógico-empírica

1. A Casa da Música era a obra emblemática do Porto 2001, Capital da Cultura.
2. A Casa da Música devia ter sido inaugurada em 2001.
3. Em 2004 a Casa da Música ainda não está concluída.
4. Anunciou-se que a Casada Música será inaugurada em 2005.


5. A Compta foi a empresa que desenvolveu a aplicação informática para colocação de professores.
6. A aplicação devia ter sido concluída em Junho de 2004.
7. Em fins de Setembro de 2004 a aplicação ainda não funciona.


8. Couto dos Santos é administrador da Compta.
9. Couto dos Santos vai ser administrador da Casa da Música.


10. Previsão: a Casa da Música não vai ser inaugurada em 2005.

  Dia Europeu Sem Charros

No Anacleto, evidentemente.

terça-feira, setembro 21, 2004

  Liberdades

Os portugueses jovens já podem escolher nunca ser mancebos. É bom. Toda a gente deve ter a liberdade de escolha de não pegar em armas.

Os portugueses ainda não podem queimar bandeiras verdes e vermelhas. É mau. Toda a gente deve ter a liberdade pública de ser palerma.

Os coelhos portugueses ainda não têm a liberdade de ficarem vivos. É mau. Por muito bem que saiba um coelho à caçadora, não há nada mais incivilizado do que crueldade transvestida de desporto.

Muitos pais portugueses ainda não têm a liberdade de escolher a escola dos seus filhos. É mau. Hoje apenas escolhem os que podem. Por que não dar a mesma oportunidade aos que hoje não a têm?

  I Still Believe in a Free Lunch

Private: O Equinócio do Outono terá lugar a 22 de Setembro às 08:30 GMT.

  "He still believes in free lunches..."

Em Portugal, sempre que o assunto é saúde, há pelo menos um jornalista que se lembra de entrevistar um tal Dr. Manuel Delgado, Presidente da Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares. Não se imagina que hospital é que o Dr. Manuel Delgado possa administrar. Público não, porque rejeita toda e qualquer opinião, boa ou má, que venha da tutela. Privados muito menos. O Dr. Manuel Delgado odeia tudo o que seja privado e transporta sempre o fantasma do 'lucro' debaixo da língua.

Administrador ou não, o Dr. Manuel Delgado preside a uma associação de administradores. Não têm website, e nem sei se terão alguns sócios, mas o título impressiona e por isso a TSF e o Público ouvem-no sempre. Desnecessário. A opinião do Dr. Manuel Delgado é sempre a mesma: está contra. Hoje foi o Público:

"As sucessivas afirmações de Santana Lopes revelam apenas toda a sua "ignorância e impreparação sobre esta matéria", considera o presidente da Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares, Manuel Delgado, para quem a medida, nos moldes anunciados, "não tem pés para andar, nem constitucionalmente, nem tecnicamente, nem socialmente". "É um disparate completo, um recuo a meados do século XX", acrescenta, lembrando que nenhum país utiliza as taxas moderadoras para financiar o sistema de saúde."

Manuel Delgado nota ainda que, apesar de a percentagem do Produto Interno Bruto nacional dedicado ao sector (nove por cento) ultrapassar a média dos países da OCDE, os portugueses são "os que mais pagam do seu bolso para as despesas da saúde, cerca de 38 cento do total dos gastos".
Esta mania dos almoços grátis nunca mais acaba. Os portugueses não pagam 38% dos custos da saúde: pagam 100%. Ou ainda mais, tal é a ineficiência que suportam em alguns serviços. E pagam esses 100% da parte que sai do bolso, directa e indirectamente, e da parte que nem sequer chega a entrar.

Caro Dr. Manuel Delgado, ainda acredita em almoços grátis?

  Pearls na Blogosfera

Resposta de um aluno de liceu a uma pergunta sobre a obra dramática de Gil Vicente, transcrita no Público de 11.8.2004:

"Eu não tenho dúvidas que o Gil Vicente é muito importante, a pesarde nunca ter ganhado o campionato de futebol. É importante porque ás vezes ganha ao Benfica, otras ao Sporting e otras ao Porto, tirando a eles o primeiro logar. E também por isto é que a sua obra é dramática porque é um drama para os benfiquistas, os sportinguistas e os portistas quando ganha."
Está no Xanelcinco, um blog perfumado, que tem muito mais coisas para ler e que ainda por cima... tem um grande coração verdibranco!

  O Caminho da Consagração

É uma enorme alegria: o Sporting, ao perder 2 dos primeiros três jogos, está a repetir a campanha do penúltimo ano em que foi campeão! Assim sim, leões! Glória à vista! Abram alas, lá vamos nós!


segunda-feira, setembro 20, 2004

  Blogosfera Vira à Esquerda

A esquerda postmoderna, igualitária, progressista, revolucionária e alterglobalizadora tem um novo blogue, o Anacleto.

E quem foi que disse que não havia esquerda inteligente?

O Anacleto inspira-se no pensamento da grande intelectualidade internacional. Nomes como Enver Hoxha, Trotsky, Marx, Mao Zedong, Kim il Sung, a cadela Lassie, Che Guevara, Fidel Castro, Noam Chomsky, 6 impalas do Botswana, Michael Moore, o cavalo Ed, Hugo Chavez, duas lagartixas asiáticas, Jose Bové e vários perfeitos idiotas latino-americanos contribuíram decisivamente para a construção do pensamento político anacletiano.

Em Portugal o Anacleto segue os ensinamentos de pensadores como Fernando Rosas, Boaventura Sousa Santos, Tatiana Romanova, Miguel Portas, o palhaço Companhia, Ana Drago, Pedro Abrunhosa, Bernardino Soares, Ana Gomes, Augusto M. Seabra e o maior e melhor de todos os Anacletos, o único, o verdadeiro... Francisco Anacleto Louçã.

  Ban-Bang

O provável futuro líder da Indonésia é o General Ban Bang. Não sei porquê, tenho a sensação que os próximos tempos não vão ser muito pacíficos naquelas ilhas.

domingo, setembro 19, 2004

  Sul


Algarve, Cerro de São Miguel ao Fundo

sábado, setembro 18, 2004

  Sabamos Purtuguês


O que é importante é que dentro do orçamento que tenhemos, sabamos dar as prioridades.


José Luís Arnaut, Ministro.


quinta-feira, setembro 16, 2004

  Narciso Aplica Sanções ao PS

Narciso Miranda está a estudar a aplicação de sanções ao Partido Socialista, na sequência de acontecimentos recentes nos orgãos dirigentes.

"Ainda não tomei nenhuma decisão, mas espero em breve reunir comigo mesmo para chegar a uma conclusão" - terá afirmado Narciso ao Narcísico de Matosinhos.

Uma das alternativas que Narciso estuda neste momento é o veto à entrada de Manuel Alegre no distrito do Porto. "É uma entre outras opções. Primeiro vou ter que votar para saber se concordo com essa sanção. Mas é uma possibilidade forte...".

Tudo indica que o castigo a aplicar a José Sócrates será mais leve: "Sócrates poderá entrar no distrito e será autorizado a visitar o Castelo do Queijo. Daí para cima é que não, pelo menos até decisão em contrário pelo Conselho Jurisdicional Narcísico, que só reune pelo Natal.", disse-nos um colaborador próximo do autarca.

Questionado sobre se vai ser novamente candidato ao Município de Matosinhos, Narciso respondeu:

"Que confusão vai nessa cabeça. É ao contrário, Matosinhos é que se vai recandidatar a mim. Quem diz que é ao contrário são pessoas que, em Lisboa, protegidas nos seus gabinetes, não conhecem Matosinhos, não compreendem a afectividade do povo para com Narciso Miranda, enquanto presidente e cidadão".

  Liberdades

Quid Rides? Parece-me muito bem.
Office Lounging. Este também.
Regressou o Veto Político.

Sopram bons ventos na blogosfera.

  Qual é o Espanto?

Durante o século XX, a economia planificada demonstrou a sua incapacidade em fornecer bens e serviços às populações em qualidade e quantidade.

No século XXI, em Portugal, a economia planificada demonstrou a sua incapacidade em fornecer professores às escolas a tempo do início do ano lectivo.

A propósito deste assunto, o picuinhas escreveu na altura certa:

O centralismo do governo
Dizem que o governo é (neo-)liberal e de direita. Antes o fosse! Passou despercebida na blogosfera, ao que julgo, uma notícia arrepiante no DN. O Ministério da Educação pretende chamar a si a colocação de todos os professores em todas as circunstâncias. As escolas só poderão contratar directamente professores em "situações absolutamente excepcionais e depois de esgotadas as possibilidades dessa lista nacional". Repare-se nas afirmações do Estado da Administração Educativa, Abílio Morgado:

Esta é uma das novas regras traçadas pela tutela para o próximo concurso e integra uma proposta de decreto-lei que, após a ronda de consultas com os sindicatos - que hoje se inicia - deverá ser levada a Conselho de Ministros. Na prática, explica o secretário de Estado da Administração Educativa, isto significa que as escolas apenas contratam directamente professores - através da chamada oferta de escola - em «situações absolutamente excepcionais e depois de esgotadas as possibilidades dessa lista nacional». Uma medida que, sustenta Abílio Morgado, pretende «levar até às últimas consequências a lógica de centralização dos concursos», por forma a «moralizar e dar transparência a todo o processo».
Repare-se na retórica: centralizar permite moralizar e dar transparência a todo o processo. Transparente talvez fique, mas na sua enorme estupidez. Do que precisamos é de escolas que possam escolher os seus professores. De escolas, e direcções de escola, responsáveis pelas suas escolhas, e que não se possam desculpar com os critérios "morais" e "transparentes" do Ministério da Educação. Custa ver um governo PSD/PP fazer coisas destas.
Na Mouche, caro Manuel!

quarta-feira, setembro 15, 2004

  Como É Que Eles Fazem?

Nas escolas privadas, o ano lectivo já se iniciou. Como é que estas escolas arranjam os professores sem um organismo estatal centralizado para as ajudar? Estranha anomalia de mercado...

  Alegrias

Manuel Alegre Diz Que a Direita Quer Que Ganhe Sócrates. Eu quero que ganhe Alegre, embora o meu lado Monthy Phyton esteja com João Soares. Malvadez a minha. Serei de esquerda?

  São Rosas, Senhor!

Nada melhor para começar uma terça-feira cheia de reuniões do que as pérolas matinais do bloquista Rosas...

"...o país assistiu perplexo ao desfiar das trapalhadas e incoerências com que a criatura que Jorge Sampaio nos impôs como chefe do Governo..."

"...foi uma desastrosa barafunda que nos dá bem a medida do personagem que a direita pôs à frente dos destinos do país."

"Santana Lopes ... lá vai cambaleando entre a demagogia e o disparate ao sabor do que lhe segredam ou escrevinham os inúmeros assessores que borboleteiam à sua volta"

"...a extrema direita conservadora e neoliberal que realmente comanda o Governo..."

"O beato Félix veio-nos anunciar o inferno..."

"É sabido que a política recessiva de equilíbrio orçamental..."

"Com o preço do crude a poder subir acima dos 80 dólares o barril...", "falar em "retoma" ou de crescimento a 2,5 por cento em 2005 é do domínio da adivinhação ou, mais seguramente, da pura e simples propaganda."
E ninguém quer avançar com um Clube de fãs do Chico Anacleto e do Nando Rosas? Juro que pago um ano de quotas em avanço...

terça-feira, setembro 14, 2004

  Alentejanos Danados

Fazem-se vírus em Évora???

Mapa com as origens dos vírus informáticos, via Contra-factos

  Bagão

Não, eu não vi o Bagão na Televisão

Mas logo a seguir...

Ouvi estarrecido o médico-nortista-populista Luís Filipe Meneses explicar que o estado não tem dinheiro que chegue para as necessidades e por isso só tem é que ir buscar mais.

Depois ouvi o Chico Anacleto, que quer sempre mais estado, mais educação, mais saúde, mais reformas, mais cultura, mais subsídios, menos trabalho, menos ricos, menos empresas e menos impostos, explicar que o ministro era assim a modos como um Cobrador Ganancioso cheio de contradições...

Logo a seguir um senhor do partido em estado terminal dizia que a o ministro Bagão só falou num conjunto de tretas, acusando-o de não querer tirar o dinheiro dos ricos.

Ainda fui a tempo de ouvir Joel Hasse Ferreira, um velho estatista keynesiano empedernido, explicar que a concepção económica do governo se afasta do pensamento económico moderno...

Perante tais comentários, concluo que o Bagão esteve bem. Da próxima vez não vou perder.

  A Verdade a Que Temos Direito

Já se sabe: Narciso era o bom, Seabra era o mau. Estamos esclarecidos.

Update:: Afinal, Narciso era apenas o menos mau, Seabra era o pior e parece que havia por lá um outro que nem é bom falar...

segunda-feira, setembro 13, 2004

  Mina


Igreja, Mina de S.Domingos, Setembro de 2004

  Almoços Grátis

1. OK, ponham lá as portagens nas SCUTs. Acho bem. Mas não se esqueçam de devolver aos contribuintes o que o estado deixa de pagar às concessionárias.

2. Parece que há um objectivo constitucional de um serviço de saúde gratuito. Fixe. Muito cool. Ainda não sei é como é que vão convencer os médicos e os enfermeiros a trabalhar à borla e os fornecedores dos hospitais a oferecer os equipamentos e os medicamentos.

  A Cabra


Parque Mineiro da Cova dos Mouros, Vaqueiros, Alcoutim

  Saúde Pública

Via Intermitente

Elias, um menino de 4 anos vive na Suécia, em Jämtland. Elias é surdo dos dois ouvidos desde a nascença. O sistema de saúde pública local paga um implante para um dos ouvidos do menino. Os pais querem implantes nos dois ouvidos. O que podem fazer? Johan Norberg conta no seu blog: nada. Ninguém pode obter ajuda extraordinária do sistema de saúde pública, com ou sem pagamentos... E uma vez que os implantes auditivos são pagos pelo estado, não há lugar para o mercado privado do serviço de saúde.

Contaram-me há algum tempo uma história semelhante. Vendo-a pelo mesmo preço que a comprei:

O sistema de saúde sueco fornece 'gratuitamente' próteses às vítimas de acidentes de viação, quando a responsabilidade não pode ser atribuída às companhias de seguros. Um cidadão soube que nos EUA existiam alternativas mais avançadas (com recurso a electrónica) que lhe permitiriam uma vida mais independente. Propôs-se encomendar o modelo mais evoluído pagando a diferença. Não era possível. Não só o sistema sueco não permitia a escolha ao cidadão, como o preço de referência da prótese local era superior à do modelo americano mais avançado. A única solução para o cidadão em causa era ir aos EUA e pagar tudo do seu bolso, sem qualquer apoio do sistema que ajudava a pagar com os seus altíssimos impostos...

  Sporting

A culpa foi do árbitro. A relva estava molhada. Os jogadores estavam cansados. A luz estava demasiado amarela. O vento estava contra. O sol encandeava. Deram moscatel ao Liedson. Foi tudo isto, senão o Sporting ganhava, obviamente.

  Every Little Thing She Says is Tragic

"Na Primeira Qualquer Cai, na Segunda Cai Quem Quer", Ana Gomes, Público.

Na primeira, caíram os que foram atrás de _______(a). Da segunda, cairão os que forem atás de ________ (b).

Os espaços em branco podem ser preenchidos de acordo com a tendência preferida:

Primeira Hipótese - a)Mário Soares, b)João Soares
Segunda Hipótese - a)António Guterres, b) José Sócrates
Terceira Hipótese - a)Ferro Rodrigues, c) Manuel Alegre


domingo, setembro 12, 2004

  Planeamento Urbanístico à Portuguesa

A natureza construiu um paraíso. Os homens encarregaram-se dos acabamentos.


Praia da Luz, Setembro de 2004

sábado, setembro 11, 2004

  Dia da Ignomínia

3 anos, hoje.


World Trade Center, Nova Iorque, Junho de 1997.

sexta-feira, setembro 10, 2004

  Uma Posta Hilária

O Mundo de Alexandre Soares Silva.

  Artists for Kerry, Alice for Bush

"If you're listening to a rock star in order to get your information on who to vote for, you're a bigger moron than they are. Why are we rock stars? Because we're morons. We sleep all day, we play music at night and very rarely do we sit around reading the Washington Journal."
Alice Cooper, Fox News, via Se.Liga.Com.Br.

  Barnabé

O Barnabé faz um ano. O Barnabé é um exemplo de um excelente projecto de iniciativa privada, não subsidiado e auto-regulamentado, em regime de concorrência livre no mercado dos blogues.

O sucesso do Barnabé deve-se evidentemente à qualidade dos seus recursos humanos e a um correcto posicionamento do produto que oferecem no mercado dos leitores de blogues.

O Barnabé não é igualitário. É um blogue de elite. Se a blogosfera representasse a sociedade que os Barnabés desejam, o Daniel, o Pedro e o Rui seriam obrigados por lei a contribuir para os blogues mais mediocres, para que todos fossem iguais.

Felizmente, a blogosfera é uma perfeita sociedade liberal. Aqui, até os Barnabés podem ser anti-liberais com toda a liberdade e colherem os frutos do seu sucesso. Viva a Liberdade. E ao Barnabé, os meus sinceros parabéns!

quinta-feira, setembro 09, 2004

  The Perfect Match

Francisco Louçã está a ser entrevistado num programa chamado O Perfeito Anormal.

  Querido Blogue

Hoje não dá. Estou a aumentar a produtividade do país. Até logo.

j.

quarta-feira, setembro 08, 2004

  É Nisto Que Os Conservadores São Melhores Que os Democratas

Príncípios para um bom sistema fiscal:

Don't punish achievement and risk;
The tax code should not play favorites;
The tax code should be understandable, not arcane; and
Tax rates should be low so as to encourage economic growth.
Na prática... bem, isso é outra história.

  Ten

M&G. 3653 dias de vida.

terça-feira, setembro 07, 2004

  Conversa

O Excelente Cozinheiro: "É pá, a tua máquina tira fotografias muito boas. De que marca é?"
O Fotógrafo Amador: "E o teu fogão faz uns excelentes cozinhados. De que marca é?"

  The Painful Truth: All the World Terrorists are Muslims

Abdel Rahman al-Rashed, General Manager of Al-Arabiya news channel.

It is a certain fact that not all Muslims are terrorists, but it is equally certain, and exceptionally painful, that almost all terrorists are Muslims.

The hostage-takers of children in Beslan, North Ossetia, were Muslims. The other hostage-takers and subsequent murderers of the Nepalese chefs and workers in Iraq were also Muslims. Those involved in rape and murder in Darfur, Sudan, are Muslims, with other Muslims chosen to be their victims.

Those responsible for the attacks on residential towers in Riyadh and Khobar were Muslims. The two women who crashed two airliners last week were also Muslims.

Bin Laden is a Muslim. The majority of those who manned the suicide bombings against buses, vehicles, schools, houses and buildings, all over the world, were Muslim.

What a pathetic record. What an abominable "achievement". Does all this tell us anything about ourselves, our societies and our culture?

These images, when put together, or taken separately, are shameful and degrading. But let us start with putting an end to a history of denial. Let us acknowledge their reality, instead of denying them and seeking to justify them with sound and fury signifying nothing.

For it would be easy to cure ourselves if we realise the seriousness of our sickness. Self-cure starts with self-realisation and confession. We should then run after our terrorist sons, in the full knowledge that they are the sour grapes of a deformed culture.

Let us listen to Yusuf al-Qaradawi, the Sheikh - the Qatar-based radical Egyptian cleric - and hear him recite his "fatwa" about the religious permissibility of killing civilian Americans in Iraq. Let us contemplate the incident of this religious Sheikh allowing, nay even calling for, the murder of civilians.

This ailing Sheikh, in his last days, with two daughters studying in "infidel" Britain, soliciting children to kill innocent civilians.

How could this Sheikh face the mother of the youthful Nick Berg, who was slaughtered in Iraq because he wanted to build communication towers in that ravished country? How can we believe him when he tells us that Islam is the religion of mercy and peace while he is turning it into a religion of blood and slaughter?

In a different era, we used to consider the extremists, with nationalist or Leftist leanings, a menace and a source of corruption because of their adoption of violence as a means of discourse and their involvement in murder as an easy shortcut to their objectives.

At that time, the mosque used to be a haven, and the voice of religion used to be that of peace and reconciliation. Religious sermons were warm behests for a moral order and an ethical life.

Then came the Neo-Muslims. An innocent and benevolent religion, whose verses prohibit the felling of trees in the absence of urgent necessity, that calls murder the most heinous of crimes, that says explicitly that if you kill one person you have killed humanity as a whole, has been turned into a global message of hate and a universal war cry.

We can't call those who take schoolchildren as hostages our own.

We cannot tolerate in our midst those who abduct journalists, murder civilians, explode buses; we cannot accept them as related to us, whatever the sufferings they claim to justify their criminal deeds. These are the people who have smeared Islam and stained its image.

We cannot clear our names unless we own up to the shameful fact that terrorism has become an Islamic enterprise; an almost exclusive monopoly, implemented by Muslim men and women.

We cannot redeem our extremist youths, who commit all these heinous crimes, without confronting the Sheikhs who thought it ennobling to re-invent themselves as revolutionary ideologues, sending other people's sons and daughters to certain death, while sending their own children to European and American schools and colleges.

  O Neoliberalismo Não Existe

É a tese de Vital Moreira. Lê-se hoje no Público:

"Ora uma das consequências das doutrinas neoliberais, no sentido da redução do papel do Estado, nomeadamente no que respeita às políticas sociais, tem sido a de forçar a diminuição das receitas fiscais, para desse modo justificar a baixa das despesas sociais, por falta de capacidade orçamental."
Era bom que assim fosse. Infelizmente, a tendência tem sido a de aumento das receitas fiscais e um aumento ainda maior das despesas sociais. O discurso não cola com a realidade. A conclusão óbvia é de que o neoliberalismo não existe. Actualmente, a factura vai para as dívidas a pagar (também chamado défice acumulado). Não tarda que a conta venha parar a outras alíneas. E não há muitas onde se possa mexer: IRS, IRC e IVA.

"Trata-se de uma tendência geral, mas se fosse necessário apontar um exemplo flagrante, bastaria mencionar a política fiscal do Governo de Bush nos Estados Unidos, caracterizada por maciças baixas de impostos para os mais ricos, seguidas de enormes cortes nos programas sociais. Um conhecido crítico desta política, Paul Krugman, professor em Princeton e cronista do "New York Times", já lhe chamou a política "dooh nibor", ou seja, Robin Hood (Robin dos Bosques) ao contrário, tirando aos pobres para dar aos ricos."
Independentemente das considerações que podem ser feitas à política fiscal e redistributiva, é um disparate dizer que uma baixa de impostos é 'tirar aos pobres para dar aos ricos'. Quanto muito é tirar menos aos ricos para dar aos pobres. Imagine o Exmo. Sr. Dr. Vital Moreira que um pobre diabo o assalta na rua e lhe rouba 500 euros. Quando o pobre diabo se prepara para a fuga, o Exmo. Sr. Dr. estica o braço e recupera 100 euros. Considera o Dr. Vital Moreira que esta recuperação foi injusta? Afinal, tirou a um pobre para dar a um rico...

"Em vez de determinar a carga fiscal em conformidade com os encargos resultantes das funções do Estado, democraticamente definidas, os governos invertem as coisas, reduzindo primeiro a carga fiscal, sempre fácil de "vender" politicamente, para depois invocar a falta de receitas para cortar no financiamento das tarefas pública."
Primeiro calculam-se os custos e só depois é que se calculam os impostos? A solução do Dr. Vital Moreira é o caminho para o abismo. Imagine-se que cada português fazia o mesmo em sua casa... Primeiro estimam-se as despesas todas desejáveis para uma vida com toda a qualidade. Democraticamente, toda a família vota. Vota-se na qualidade. Férias no estrangeiro, bom carro, boa casa, jantar fora todos os fins de semana, exige-se que os mais desprotegidos (as crianças) tenham semanadas dignas. As decisões democráticas têm que ser cumpridas. O quê, o ordenado não chega para pagar as despesas? A culpa é das políticas neo-liberais!

"Por vezes, causa surpresa ver a facilidade com que se junta à agenda neoliberal, como sucedeu recentemente entre nós com a pacífica eliminação do imposto sobre sucessões e doações."
Um imposto sobre sucessões e doações é justo? E preferiria o Dr.Vital o slogan: "Papás de Portugal, uni-vos, mandem as vossas poupanças para o estrangeiro?"

O grande problema da esquerda não é a falta de uma política fiscal consistente. É a impossibilidade prática de cumprir as habituais promessas da esquerda porque não há nenhuma política fiscal que resista a um aumento permanente da despesa pública. A culpa não é do neo-liberalismo, é da aritmética. A primeira pergunta nunca pode ser "Quanto custa?" mas sim "Quanto podemos gastar?". E mesmo essa pergunta não tem uma resposta directa, porque podemos gastar mais ou menos, mas quanto mais gastarmos hoje, menos temos para gastar amanhã. Este texto do Dr. Vital Moreira demonstra mais uma vez uma grande incompreensão sobre os processos de criação de riqueza e as consequências sobre a riqueza futura das várias fórmulas de tributação. E é uma constatação triste que as fórmulas preferidas pelo autor sejam sempre as mais perniciosas e as que mais empobrecem as nações.

  Onde a Terra Acaba e o Mar Começa


Cabo de São Vicente, 3 de Setembro de 2004


segunda-feira, setembro 06, 2004

  Antes que Anoiteça

No Barnabé, Daniel Oliveira chama a Raúl Rivero, dissidente cubano, "Um Dos Nossos". É preciso ter lata. Fidel está no poder em Cuba desde os anos 50 e sempre perseguiu os seus adversários políticos. Fidel fuzilou na melhor das hipóteses cinco vezes mais que Pinochet.

Quinze mil mortos e dois milhões de fugitivos depois, a esquerda começa a renegar o regime de Cuba e a levantar a bandeira dos lutadores pela liberdade. Podemos sempre recorrer ao velhinho ditado "Mais Vale Tarde Que Nunca", mas a lata aqui é outra.

Não vou sugerir que esta mudança de atitude se deva simplesmente ao completo falhanço da aplicação prática das teorias que sempre defenderam. Seria uma possível base de argumentação, mas evitemos a confrontação demasiado brusca com a realidade. E até porque nutro simpatia pelos argumentos publicados por Daniel Oliveira quando ele sugere que é preciso defender a liberdade principalmente quando ela é atacada em nome do socialismo, procuremos outro caminho.

O Bloco, partido de que o Daniel é dirigente, foi atirar tomates a Le Pen com o Anacleto à cabeça. Os tomates até eram merecidos, apesar de Le Pen nunca ter assassinado ninguém (que eu saiba). Fidel veio a Portugal e o Anacleto não foi atirar tomates a Fidel.

O Bloco, com Anacleto à cabeça, exulta com a hipótese de prisão e exige todas as punições para o velho ditador chileno. O Bloco, com o Anacleto à cabeça não pede o julgamento no TPI do velho ditador cubano que além de ter assassinado muitos mais, não soube sair a tempo e condenou o seu povo à miséria. O Bloco apenas pede a medo a libertação de alguns dissidentes.

O Anacleto, na Assembleia, vituperou o 'mundo livre' que diz ter apoiado "Videla ou o Pinochet, o Noriega ou o Papa Doc, o Sukarno...". Nem uma palvrinha sobre o Papa Fidel.

O Bloco é uma organização que congrega a UDP, o PSR, a FER e a Política XXI. Estes partidos sempre defenderam políticas semelhantes às que Fidel aplicou em Cuba. Estes partidos dizem-se comunistas. Por questões de marketing e oportunismo político, o Bloco de Esquerda foge da palavra comunismo como o diabo da cruz. É compreensível, qualquer grupo com um mínimo de juízo e com objectivos de alargamento da base de apoio faria o mesmo.

O problema é que não se pode defender ao mesmo tempo o comunismo e a liberdade. Não há comunismo sem opressão. Não pode haver. O comunismo, ao não deixar espaço para a afirmação individual dos cidadãos só pode ser implementado se acompanhado pela limitação da capacidade de iniciativa. Se deixar a liberdade no ar não há comunismo porque a maior parte dos índividuos não aceitará a planificação da sua vida em nome do propalado bem comum. A prática encarregou-se de nos demonstrar que só há comunismo em ditadura.

Nos sites dos partidos do Bloco encontram-se pérolas destas:

"A UDP é um partido marxista, de natureza comunista, que apoia o Bloco de Esquerda."

O sistema político que traduz a democracia num regime económico-social socialista é o poder popular."

"Duzentos anos da sua vitória, o capitalismo é ainda o principal obstáculo ao desenvolvimento humano da humanidade."

"Pretendemos destruir o actual sistema capitalista-imperialista e lançar as bases do socialismo em Portugal."

"...expropriação dos grupos monopolistas; nacionalização dos principais meios de produção, circulação e troca; monopólio estatal do comércio externo; planificação democrática da economia; democracia socialista para as amplas massas e repressão concentrada sobre os capitalistas e os seus aliados armados; dissolução do exército de caserna e dos corpos especiais de repressão policial..."

"A vaga nacionalista tem agora características novas. A par das lutas anti-imperialistas - a libertação da Irlanda ou do País Basco das colonizações inglesa e espanhola, por exemplo..."

"A organização política que de seguida se designa RUPTURA/FER (Frente da Esquerda Revolucionária) ? luta contra a exploração capitalista e todas as formas de opressão do ser humano, por um regime de democracia socialista, pelo poder dos trabalhadores que garanta a transição para o socialismo e o comunismo. Entendemos por socialismo uma sociedade em que o poder é exercido democraticamente pelos trabalhadores e por comunismo uma sociedade sem classes e sem estado."

"Dezasseis anos depois do 25 de Abril, ainda estamos a dar os primeiros passos na formação de uma corrente socialista e combativa, comunista e crítica, que represente um polo na esquerda portuguesa e intervenha aberta e criativamente na reorganização social."

"O PSR é a secção portuguesa da IV Internacional. O seu objectivo é a revolução socialista que destrua o sistema capitalista e a exploração do Homem pelo Homem, criando as bases para o desenvolvimento de uma sociedade socialista, iniciando a destruição do Estado pela instauração da mais ampla democracia social e pela associação livre dos produtores."

"Restaram quatro países continuando a afirmar-se socialistas: Cuba, Coreia do Norte, Vietname e China. Cuba trava uma aguda luta nacional e antimperialista. Não sendo hoje um país que constrói o socialismo, mantém uma defesa das conquistas populares e uma resistência dignas de realce. A Coreia do Norte e o Vietname procuram resistir e adaptar-se, com ligações fortes à China."

"O PSR é uma organização voluntária de mulheres e homens que se dedicam a luta pelo socialismo e pelo comunismo."
Em resumo:

1. Só há comunismo em ditadura.
2. Onde há comunismo, há dissidentes, presos políticos e perseguições.
3. O Bloco é constituído por partidos comunistas.
4. O Daniel Oliveira do Barnabé é dirigente do Bloco.

Conclusão:

Daniel, das duas uma. Ou defendes estas pérolas da iconoclastia de esquerda do século passado, ou dizes que um dissidente cubano é "um dos vossos" e apresentas a tua demissão de dirigente do Bloco. Ou então, alternativamente, tens uma grande lata.

  Levante-se o Véu

5 Milhões de Dólares. Dólares. Não querem euros.

  Notas Apos Alguns Dias Blog-Free

1. O Bruno, ultimamente muito mediático, fala na Geração Bornediep. Quando li o título da posta pensei que ele se estivesse a referir aos futuros putos que não foram abortados na clínica ambulante do barco. Afinal o Bruno fala-nos de uma geração que não existe mas que ele quer acreditar que existe.

Para já quero dar os parabéns aos organizadores. Se o objectivo era conquistar adeptos para a causa da despenalização, conseguiram exactamente o oposto. E até eu, que defendo uma nova lei para o aborto e a despenalização das mulheres que o praticam, fico de pé atrás. Não quero fazer parte do mesmo grupo do Anacleto, do Clube Safo, da tolinha holandesa que fala de cátedra sobre leis que evidentemente desconhece, de meninos do Bloco que gritam pela liberdade de expressão ou de palerminhas orfãos do comunismo que dizem que em Portugal estamos próximos uma ditadura fascista.

Em relação a estes, quero estar sempre do outro lado. E o outro lado não devia ser o lado certo para estar. Metam uma coisa na cabeça: para a causa da despenalização do aborto, a vinda do barco foi uma tragédia. Não vi ninguém mudar de opinião a favor da posição das mulheres que fazem ondas, mas vi muitos moderados radicalizarem-se do lado do não ao aborto.

2. Não é fácil explicar a uma criança o que se passou na Rússia. Foram homens maus. Terroristas. Os problemas chegam com as perguntas que se seguem. "Porquê?". "Eles não gostam de crianças?". "Os homens que fizeram isto vão para uma prisão?". "Vão para o Inferno?". "Eles não têm filhos?". "Há terroristas em Portugal?". "Há árabes em Portugal?". "O Alá é mau?".

3. O outro Bruno já tem o seu blogue. Um bom regresso ao Desesperada Esperança.

domingo, setembro 05, 2004

  A Magnífica Luz do Fim de Tarde...

...que ilumina a Costa Vicentina junto ao Cabo de São Vicente.


"PDS no Cabo de São Vicente", 3 de Setembro de 2004

  Tragam os Cavalos Dançantes...

echoandthebunnymen.jpg
You're all about the music. Not too incredibly
mainstream, but not too incredibly underground.
It's awfully hard for anyone to oppose you,
seeing as how you rule.


What band from the 80s are you?
brought to you by Quizilla

quinta-feira, setembro 02, 2004

  28 Kbps

A esta velocidade de ligação, a fotografia demora quase 1 minuto a carregar. A esta velocidade prefiro sentar-me na varanda e acabar 'O Gente do Milénio'. A lua está cheia. A praia vazia. As marés quase vivas.

O Anacleto é e será sempre um Anacleto. Once clown, clown forever. A França negoceia pela calada com os terroristas. O rapto compensa como tão bem o demonstraram os filipinos. O Louvre anda cheio de turistas de 'Da Vinci Code' na mão. Em Manchester, Ro-Roo-Ruu é o que está a dar.

Este blogue regressa no próximo Domingo.


Pescador, Ponta de Santo António

Fim de Página