<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, fevereiro 17, 2005

  Desemprego

Escreveu o Blasfemo João Miranda:

«A discussão é inútil porque as verdadeiras causas do desemprego são: os ciclos económicos, o peso do estado na economia, a criação de empregos fictícios pelo estado, o subsídio de desemprego, o salário mínimo e os direitos dos trabalhadores. O peso do estado na economia impede a formação de empresas competitivas, a criação de empregos fictícios pelo estado cria problemas estruturais na economia, o subsídio de desemprego desincentiva a procura activa de emprego, o salário mínimo e os direitos dos trabalhadores tornam o mercado laboral rígido e desincentivam as contratações.»
E mais. A carga fiscal sobre as empresas, que não só reduz as disponibilidades para o investimento como aumenta significativamente o custo do trabalho, diminuindo a sua procura. O excesso de regulação que inibe, atrasa e muitas vezes mata os novos projectos. Os sindicatos que impedem a flexibilidade laboral intra-empresas, condenando-as muitas vezes ao encerramento. A perseguição permanente à livre iniciativa, quer pelo execesso de burocracia quer pela sanha fiscal, que elimina potenciais novos empresários deslocando-os do lado da oferta para o lado da procura no mercado de trabalho. O estado mau pagador, que destrói as tesourarias das empresas com quem faz negócio. Estas são as verdadeiras causas de desemprego e podemos ter a certeza que não vão ser combatidas pelos milagreiros de serviço.

Fim de Página