<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, março 18, 2005

  A Carroça Volvo vai à Frente dos Bois Lusos

Anda por aí uma ideia muito inteligente. Uma ideia também compartilhada pelo nosso primeiro-ministro, o que a faz parecer ainda mais inteligente.

A ideia é que Portugal deve seguir o modelo nórdico de desenvolvimento. Ora eu acho muito bem. Parece que os nórdicos vivem melhor que os portugueses e nós por cá devemos saber imitar o que se faz bem lá fora. De más imitações já estamos fartos.

Se a ideia inteligente é mesmo para avançar, só é preciso escolher entre 3 opções de modelo a seguir. Queremos seguir o modelo nórdico inteligente finlandês, o modelo nórdico inteligente norueguês ou o modelo nórdico inteligente sueco?

Podemos escolher o modelo nórdico inteligente finlandês, até porque é o modelo nórdico inteligente que dá menos trabalho. Só teremos que fazer duas Nokias. Os finlandeses só têm uma mas eles são só 5 milhões. Nós somos mais, precisamos de duas. Este é um excelente caminho. A Nokia sozinha tem uma capitalização bolsista por cada finlandês corresponde a 80% do PIBpc de Portugal; Se juntarmos duas Nokias ao que já temos em Portugal estamos em cima dos finlandeses. Vamos nessa?

Outra opção é seguir o modelo inteligente nórdico norueguês. Claro, vamos começar por transformar os défices em superavits superiores a 10% ao ano, mas dava-nos algum jeito termos petróleo. É que as exportações de petróleo da Noruega em 2005 correspondem a mais de metade do rendimento de cada português. Eu gosto deste, até porque a gasolina está cara e nós por cá temos poucas barragens para produzir energia. É óbvio que se apostarmos inteligentemente no petróleo, em três tempos pedimos meças a meio mundo.

Temos uma terceira alternativa. O modelo nórdico inteligente sueco. Este também é muito fácil. Só temos que fazer 3.000 empresas competitivas. Claro, teremos que ter as nossas versões da Volvo, Ikea, H&M, Atlas Copco, Astra Zéneca, Saab, Alfa Laval, Stora Enso, Ericsson, ABB, Electrolux... As casas não se começam pelo telhado. É verdade que quase todas estas empresas começaram há muitos, muitos anos, mas com o choque tecnológico a gente chega lá num instante.

Agora é só escolher. 1,2 e 3, pick one!

Que felicidade para nós, portugueses, ter estes modelos nórdicos inteligentes à nossa disposição. Já imaginaram o que seria começarmos por copiar as despesas públicas destes países sem antes nos preocuparmos em adaptar o modelo que criou as receitas? É que com estes ministros que temos, e com estas teorias do estado que faz tudo e dá tudo a todos, sem o modelo nórdico a funcionar, estávamos bem tramados, safa!

Fim de Página