<$BlogRSDUrl$>

terça-feira, abril 26, 2005

  O Meu 25 de Abril

Na Vila de Olhão da Restauração, o Faz Gostos faz gostos. Ai, o pato com figos... Schlept! E a perna de cabrito? Uiii. Nhac nhac... Um novo favorito, por terras do Algarve. E diga-se que Olhão já merecia um restaurante assim, revolucionário e na vanguarda do progresso.

Em Bemparece, Santa Catarina da Fonte do Bispo, o Cantinho da Serra tem tudo para ser um local de eleição, começando pela cozinha serrana confeccionada por uma cozinheira que sabe o que faz e pelas vistas de cortar a respiração. Infelizmente, os donos ainda não perceberam o potencial que têm nas mãos e tratam os clientes com os pés. Não querem clientes na esplanada, porque lhes dá mais trabalho. O tempo de espera roça o absurdo. Como ninguém quer perder uma tarde de um curto fim-de-semana num restaurante, a experiência é para esquecer. Resistir e protestar contra atitudes que promovem a desertificação do interior.

O Lucas, em Cuba, estava quase vazio. Depois do acto de inteligência alarve que mandou a base alemã para Espanha e os clientes habituais enriquecer outras terras e do encerramento das Pirites Alentejanas, a clientela que outrora alegrava as noites em tardias cantorias bem regadas, desapareceu. Foram-se os clientes mas não a qualidade. Os lombinhos continuam deliciosos, com um irresistível toque de pimentão e o molho dos camarões grelhados continua a fazer-nos chupar os dedos e chorar por mais. Revolucionário e saudosista. Viva a Reforma Agrária.

No Los Caleros, numa antiga fábrica de cal em Ayamonte, as puntillitas estavam deliciosas. Os chocos também estavam muito bem e as presas ibéricas melhor ainda. Só as canhas não estavam ao mesmo nível. Cerveja amarga, contra a globalização. Tu luta es mi luta.

Falta só referir que as tostas mistas em pão caseiro, no Tavira Romana, são mesmo muito boas. Viva a Liberdade.

Fim de Página