<$BlogRSDUrl$>

quarta-feira, maio 18, 2005

  Humor, Amarelo e Negro

1. No Barnabé, para celebrar a chegada do Bicho Carpinteiro à blogosfera, Pedro Sales classifica a coluna Joana Amaral Dias como «uma das melhores colunas semanais dos jornais portugueses»...

2. Guilherme de Oliveira Martins, ex-ministro das finanças guterrista, no Parlamento, entra na peça teatral em curso e explica que não se podem anunciar medidas sem saber exactamente qual é o défice e só o Dr. Constâncio é que sabe. Ora, isto é óbvio. Como tomar decisões sem saber se é necessário cortar 4.370 ou 4.527 milhões? Não há estratégia que resista a uma dúvida destas.

3. O ministro das obras públicas diz que não, as scuts não, pois, portagens... a gente prometeu, é o programa do governo. Já o secretário de estado diz que talvez, as scuts, pois, talvez, mas não pode ser, bem, é preciso estudar, enfim. Mais uma grande trapalhada pequena descoordenação. Já percebemos. A seguir às autárquicas vão aparecer as portagens em SCUTS.

4. Eduardo Prado Coelho explica-nos que os últimos dois anos de governo foram calamitosos e é por isso que estamos numa grave crise orçamental. Consegue esquecer-se de tudo o que aconteceu antes e que nos deixou na lama em que estamos metidos e que nos vai deixar de rastos por muitos anos e bons, o malfadado guterrismo da gastação desenfreada. Para o Eduardo, tudo estava bem, até ao dia em que Guterres fugiu. Humor negro.

5. Já se começa a perceber que há um concurso de wrestling no seio do governo. Todos querem combater a crise, mas nenhum ministro está disposto a ceder a sua fatia do bolo orçamental. O ministro da economia pensa que vive nos emiratos. Administrações, institutos, nomeações, 'investimentos' é com ele. O ministro das obras públicas vive em Marte. Ele é aeroportos, ele é pontes, ele é expropriações, o homem é imparável a dispor do erário público. O ministro das bolachas acha que no lado dele está tudo bem. 14.000 funcionários serão demais mas não se pode mexer na coisa, por causa do desemprego. Não tarda nada estão todos à batatada, exigindo mais milhões quando o que se lhes exige é que poupem o dobro do que exigem. Este sempre foi o grande problema socialista. Governar à esquerda é tirar a quem cria riqueza para dar a quem não o faz e aos amigos, grupos que coincidem parcialmente. Não havendo muito mais para sacar aos contribuintes, qual vai ser o primeiro-ministro a demitir-se? O ministro das finanças?

6. Como é óbvio, os impostos vão aumentar em 2005.

7. Está um lindo dia de sol, o Sporting joga a final da Taça Uefa, daqui a dois meses começam as férias e para a semana este blogue faz dois anos. Nem tudo é mau na Lusitânia...

Fim de Página